quarta-feira, 14 de junho de 2017

Pontos Cantados

Pontos Cantados




    Os Pontos cantados são cânticos para louvação aos orixás e às linhas de entidades que trabalham no terreiro. Funcionam como mantras que evocam determinadas energias. Através dos pontos cantados, conseguimos entrar em contato com as forças espirituais, atuando diretamente nos trabalhos e fornecendo  energia para ambos os lados. O canto é uma forma de prece, assim como em outras religiões, onde colocamos toda nossa devoção para que os guias consigam atuar. 

   O ponto deve ser cantado de forma correta, sempre com harmonia, respeito, amor e devoção. Assim, fornecemos a magia necessária para as entidades e fortalecemos o campo magnético.
   No terreiro, utilizamos as palmas e o atabaque para entoar os cânticos, sendo uma forma de demonstrar nossa satisfação com o plano astral. Além dos instrumentos citados, são utilizados triângulos, berimbau, pandeiros, entre outros. Observando a afinação ao contexto e a simetria ligada aos pontos.

   Em alguns terreiros, existem os curimbas,  grupos de músicas compostos por ogãs. Estes conhecidos como filhos de santos que tocam. Exercem uma função muito importante e de grande honra, sendo responsáveis pela preparação e segurança da gira, diante da firmeza que passam.

   Quando o ponto for cantado, é importante se entender a letra e sentir a energia que está presente,
pois em cada ponto há elementos característicos das entidades e dos orixás.

Finalidades dos pontos:

Hinos: para cerimônias especiais como, por exemplo, a fundação de um terreiro.

Abertura: quando se iniciam os trabalhos.

Encerramento: quando finalizam os trabalhos.

Defumação: cantados para queima de ervas aromáticas, ajudando na formação do campo magnético.

Chamada: utilizados para   chamar as entidades.

Subida: pontos cantados para as entidades retornarem para o plano espiritual.

Descarrego: cantados para firmar as linhas que irão trabalhar .

Bater cabeça: o corpo mediúnico saúda os guias e orixás diante do congá batendo a cabeça.

Sacramentos: cantados em ocasiões especiais como, por exemplo no amaci.

Visitas: apropriados para receber, saudar, e despedir de um visitante ou de um terreiro visitado.

Primitivos: pontos específicos para saudar orixás.

Cruzados: citam mais de um orixá ou entidades que trabalham na mesma vibração.


Bate palma e abre a boca macumbeiro!


Lara de Ogum Iara





Nenhum comentário:

Postar um comentário