sexta-feira, 11 de maio de 2018

Aceitar a Partida

Aceitar a Partida

Temos várias maneiras de encarar o desencarne de entes queridos e a maioria delas são bem difíceis. Ao passar por uma situação assim, onde conseguia enfrentar este momento somente com tristeza e dor, uma sábia preta velha acalmou meu coração com um ensinamento, o qual vou dividir com vocês. 
Aprendi que nós somos como as rosas. A rosa para florescer, além de resistir ao sol, ela deixa muitos espinhos para trás, mas são estes que a faz chegar lá. Depois ela floresce e quem passa por ela é capaz de admirar sua beleza, sentir seu perfume. Mas um dia ela vai despetalar, e pode ser por vários motivos diferentes, mas todas elas vão na hora certa. Ainda assim, quem pegar uma pétala será capaz de sentir no fundo o cheiro e, se fechar o olho, consegue imaginar toda a beleza de que aquele pedacinho da flor faz parte. 


Assim somos  nós, não sabemos o que vai acontecer, nem quando, então cabe a nós espalhar beleza, carinho, amor e paz ao próximo para que quando a nossa hora chegar, os nossos entes próximos sejam capaz de sentir nossa presença em cada detalhe, em cada pensamento bom. Saudade não é e nunca foi uma dor, saudade significa que aquele alguém foi capaz de deixar uma parte dele em você, que em algum momento lhe causou um sentimento tão bom, bonito e raro que você apenas lembra com carinho. Uma vez li que uma criança definiu que “Saudade é o amor que fica” e se existe algo mais bonito que isso, eu desconheço. 

Maria de Ogum Beira-Mar

Nenhum comentário:

Postar um comentário