quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

O nada. Vida futura

O nada. Vida futura

Seguindo com nossos estudos do Livro dos Espíritos, abordaremos agora as informações contidas no livro 4 capitulo 2: O nada. Vida futura.
Nesta parte do livro, os espíritos reveladores nos explicam que mesmo aquele encarnado que acredita que após a morte nada haverá, sente em seu intimo que esse pensamento não o satisfaz. Isso ocorre, pois, quando o espírito vem para sua jornada terrena, ele traz consigo algumas lembranças do outro lado da vida. Por esse motivo o plano espiritual além-túmulo é de conhecimento da humanidade desde seus primórdios.
A vida terrena irá afetar diretamente na forma como retornaremos ao plano espiritual. Temos relatos e indagações sobre o quão breve a vida é desde os primórdios da humanidade, refletindo mais uma vez a incompatibilidade ao pensar que o “NADA” espera o homem. 

Resultado de imagem para O nada. Vida futura

Nos momentos finais da jornada terrena até mesmo o homem mais cético coloca seus pensamentos no que lhe aguardará após. A idéia do nada nessas horas chega ser completamente refutada.
Em nossa doutrina de Umbanda, nos aproximamos dos pensamentos expostos sobre o tema. Ao analisarmos com olhar Umbandista, o pensamento do nada, do vazio, é inconcebível. Pois até mesmo nos primórdios da criação havia EXÚ, que representava o vazio ou nada, mas que, estava ele, EXÚ, presente ali. E foi nesse “vazio de EXÚ” que Olorum criou o tudo. Dessa forma, o sentimento da grandeza e da seqüência da evolução de nossos espíritos está entalhada em nosso âmago.


Pedro de Xangô


Nenhum comentário:

Postar um comentário