quarta-feira, 6 de junho de 2018

Deus e o Infinito

Deus e o Infinito

Queridos leitores, com esse texto daremos início a uma série de textos relacionando O Livro dos Espíritos de Allan Kardec com o conhecimento umbandista, onde nós, da Tenda de Umbanda Caboclo Sete Flechas e Cabocla Jurema, iremos dar vida a esse conteúdo da doutrina espírita junto ao conhecimento de Umbanda que trazem a mesma essência, mas com palavras diferentes.
No Capítulo primeiro do livro primeiro do Livro dos Espíritos, o assunto tratado é sobre DEUS e vou falar agora sobre DEUS E O INFINITO. Kardec pergunta o que é Deus, o que é infinito e se pode se dizer que Deus é o infinito. As respostas são claras dizendo que Deus é a inteligência suprema causa primeira de todas as coisas. O infinito é o desconhecido, aquilo que não tem começo nem fim e encerra as respostas afirmando que dizer que Deus é o infinito é uma grande pobreza de palavras para definição de sua grandeza.


Todas as respostas das perguntas de Kardec são espetaculares e recomendo a leitura do Livro dos Espíritos para acompanhar nosso raciocínio. Pois bem, para nós que acreditamos em um Ser Superior, que nos criou, então sem dúvida, Ele é a inteligência suprema. E, se é o Criador, não precisa se esforçar para saber que é a causa primeira que nos leva à última pergunta relacionada: se Deus é infinito? Sendo a resposta: também. Pois se Ele é a causa primeira, Ele é a causa de existir o infinito, Ele é o tudo, porém como não temos palavras nem para definir todos os elementos de nosso planeta quem dirá a definição de Deus. O infinito deve sempre nos recordar da eternidade de nosso ser, de nossa força, sendo uma partícula dessa criação divina, somos também parte do infinito, onde todas as criações se ligam entre si, formando uma teia interligada onde a energia de cada um interfere no outro.
Teorias do universo de vários pesquisadores e cientistas afirmam que podemos realizar qualquer vontade. Basta conhecermos essa força da criação de Deus que é a ligação universal. Sabendo lidar com seus desejos e vontades, você cria seu campo magnético que é ligado à força universal, atraindo para si o que seus pensamentos e ações geram. Pensamentos e ações são consequências um do outro, não basta só pensar, nem só agir, pois os verbos PENSAR E AGIR devem estar interligados para que possam ser efetivos e causarem real mudança em sua vida. Pensamentos sem ações morrem e ações sem pensar não causam efeitos satisfatórios.


Para a Umbanda, Deus também é conhecido pelo nome de Olorum, Zambi ou NZambi, podendo variar na forma de escrever. Esses nomes vêm das nações africanas, sendo Deus da mesma forma e uma religião monoteísta da mesma forma. O que difere a Umbanda de algumas religiões sobre Deus é sua visão. Não acreditamos em Deus apenas como um ser de criação espiritual e do planeta, acreditamos na Sua presença em TODAS as coisas, seja em uma partícula de algo, ou no vento. Sendo ele o Criador, toda Sua criação tem Sua vontade e força e assim começa a teoria dos nossos Orixás. Conforme é explicado anteriormente, Orixás são essas forças de Deus na terra, e não é o que muitos pensam que cada Orixá é um Deus, pois, na verdade, cada Orixá é uma força do único Deus existente.
Não importa em qual Ser Superior acredite, qual nome você dê, ou se não acredita em nenhum Ser Superior, mas temos que ter a consciência de que o nosso conhecimento perante o universo é um grão de areia na praia e que devemos sempre procurar aquilo que o nosso coração se  sente bem, na força universal que nos rege e nos faz bem!

Que Olorum,Nzambi,Deus esteja sempre contigo!


Pai Igor de Oxum

Nenhum comentário:

Postar um comentário