sexta-feira, 8 de junho de 2018

Provas da Existência de Deus

Provas da Existência de Deus 

Dando continuidade ao nosso estudo, ainda no capítulo I do livro dos espíritos, Allan Kardec faz algumas indagações referentes às provas da existência de Deus. E, de forma extremamente sábia, as respostas são esclarecedoras para todos nós.
A demonstração de que Deus existe está na premissa de que todo efeito advém de uma causa.  Para crer em Deus basta olhar ao seu redor e observar cada dádiva de nossa existência. Inclusive, a nossa própria existência e o universo no qual vivemos são efeitos que vêm de uma causa superior, que inegavelmente é Deus.
O sentimento instintivo que há dentro de nós sobre a existência de Deus é mais uma das formas de se comprovar que ele realmente existe, pois esse sentimento não é gerado do nada, logo, é um efeito que consequentemente vem de uma causa. Não há fundamento se afirmar que esse sentimento é, tão somente, proveniente de estudo repassados em escolas ou por pais, ou de onde quer que seja, pois se esse sentimento da existência de um Ser Superior adviesse somente de ensino e ideias pré-concebidas, só quem recebesse esse aprendizado é que carregaria consigo essa sentimento, e como sabemos não é isso que ocorre. Seja uma pessoa com estudos ou não, o sentimento ali está.


A ideia de que a formação das coisas poderia ser fruto das propriedades íntimas da matéria ou que poderia advir do acaso pode facilmente ser descartada. Em primeiro lugar, as propriedades íntimas da matéria também têm uma causa, e logo têm de vir de algo Superior. Em segundo lugar, atribuir a formação do Universo ao acaso é inegavelmente contraditório, pois a perfeição e harmonia existente no universo nos mostra que há uma inteligência superior acima de tudo, e o acaso não é inteligente, já que um acaso inteligente não é um acaso, conforme resposta dada ao Kardec. 
Deus é a inteligência Suprema, causa primária de todas as coisas. Para crer Nele, basta analisarmos as suas obras.  Pare um segundo e observe, ao menos um dia, o pôr do Sol, os jardins com suas  flores exalando perfume e beleza, as plantas em sua perfeição, os animais que nos alegram , a chuva, o balanço do mar, a natureza, a brisa suave, o barulho das cachoeiras e toda obra divina que  está ao nosso lado. Se isso tudo não é Deus, o que mais pode ser?


E na Umbanda sentimos Deus também em cada energia emanada por Ele através dos Orixás que desencadeiam dentro de nós, em cada circunstância de nossa vida, a fé, o amor, o conhecimento, a justiça, a lei, a evolução e a geração. Sentimos Deus, ainda, quando sentamos aos pés de um preto-velho que, humildemente, vem nos acalmar e secar nossas lágrimas com seu acolhimento e paciência. Também vemos Deus quando um caboclo, com sua sabedoria, nos encoraja a enfrentarmos os nossos medos, quando um Exu com sua reverência  nos  mostra o que escondemos de nós mesmos. Sentimos Deus, ao ouvirmos cada guia espiritual, seja da direita ou da esquerda, que venha, com toda a caridade, nos auxiliar no nosso propósito de encarnação. 
Há, ainda, a concretude de Deus na Umbanda, com o soar dos atabaques, com os pontos cantados e palmas, com o bater cabeça, que nos fazem vibrar de alegria e impulsiona-nos a termos forças para enfrentar o cotidiano. E, principalmente, a Umbanda nos leva mais perto de Deus quando nos mostra que, na caminhada desta vida, não estamos sós, pois ELE está conosco, e para isso não precisamos ir muito longe, pois, se já olharmos para nós mesmos, encontraremos Deus, posto que somos, também, um efeito, dessa Causa Superior. 

“ Maior que Zambi, maior que Oxalá, procure nesse mundo e não encontrará,
Zambi é Pai, Oxalá é filho, encontrei na UMBANDA a força do divino...”



Natália de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário