sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Pretos velhos

Pretos velhos


Dia de comemoração: 13 de maio
Dia da semana: segunda-feira
Cor: preto e branco
Linha de trabalho: Evolução, transmutação e transformação.

Os Pretos e Pretas Velhas, nossos Avôs e Avós na Umbanda, são entidades elevadas que se manifestam e se apresentam como anciãos negros. São seres de grande conhecimento em manipulação de ervas, que possuem amplo entendimento da magia Divina.

Tem-se, com base na dor e no sofrimento pelo que passaram os negros na época da escravidão, que a linha de preto velho transmita sabedoria, perseverança, humildade e paciência.

Muitos Pretos velhos podem apresentar-se como Tio, Tia, Pai, Mãe, Vó ou Vô, porém todos são Pretos velhos. Importante mencionar que nem todas as entidades que trabalham como pretos velhos foram escravos, alguns viveram bem antes desse período histórico, tiveram diferentes formas de vidas. Quando um Preto Velho fala de seu cativeiro, não necessariamente está ligado à escravidão no Brasil, podendo ter acontecido em outros planos espirituais. Eles têm como objetivo nos ensinar que foi através dessa história de dor, lutas e dificuldades que eles alcançaram a luz.


Os pretos velhos são figuras simples e sábias na Umbanda, o amor e a paz transmitidas por eles nos dão conforto e um sentimento de que não estamos sozinhos, que neles temos o amparo que precisamos. Será por meio de palavras doces que eles irão transmitir ensinamentos e que nos darão conselhos. Sentados em seus banquinhos nos farão ter uma visão da vida que só eles são capazes de ver.

Os terços, cigarros de palha, cachimbos e ervas são elementos utilizados em seus trabalhos para limpeza espiritual, e cura de males do corpo e do espírito.

A linha de Pretos Velhos possui a força do Orixá Obaluaê ligado à evolução e transformação dos seres, no entanto, eles se apresentam de acordo com a linha de outros Orixás, como por exemplo:


· Aruanda (Céu) - na linha de Oxalá.

· Calunga, Cemitério ou das Almas na linha de Omolu/ Obaluaê;

· Congo - na linha de Iansã;

· D´Angola - na linha de Ogum;

· Matas - na linha de Oxóssi;

· Cachoeira – na linha de Oxum;


“Deus deu como meta a perfeição, mas estabeleceu como prazo a eternidade e, como companheira dessa caminhada, a paciência, pois ele sabe que estamos muito distantes do ideal e ainda não atingimos a angelitude.
Deus o quer como humano, não como anjo.
É preciso humanizar-se, para então aperfeiçoar-se.
Os anjos voam longe, e o Pai precisa de você aqui, com os pés firmes no mundo para auxiliá-lo no processo de aprimoramento da humanidade.” Preto Velho Pai João de Aruanda.
Particularmente sinto que é sentado aos pés de um Preto Velho, deitado em seu colo, diante de sua figura simples que somos capazes de absorver e sentir uma energia que revigora a alma. Preto Velho é amor que transborda, é pureza, é sabedoria que vem da simplicidade.

Luiza de Oxum

Nenhum comentário:

Postar um comentário