terça-feira, 15 de agosto de 2017

Iemanjá


Iemanjá



No texto de hoje falaremos sobre mamãe Iemanjá, um orixá muito conhecido e cultuado na Umbanda. Abordaremos em qual linha ela atua, qual a sua regência na vida de todos, as características principais de seus filhos e mais algumas curiosidades sobre esse amado orixá.

Iemanjá é uma potência divina regente das águas salgadas que protege os pescadores, os seres aquáticos e tudo que entra no mar. Está assentada na sétima linha, no polo positivo do trono da geração, juntamente a Omolu. Ela é o orixá irradiador responsável por gerar novos ciclos estimulando a geração e a criatividade das pessoas em um aspecto da vida no qual se tem a devida dedicação trazendo, assim, oportunidades de crescimento em todos os sentidos da vida, tornando os indivíduos capazes de se adaptarem às condições e aos meios mais difíceis pelos quais tenham que passar. 

Além disso, é protetora dos lares e atua em nossas vidas dando sentido à família, fazendo despertar o sentimento de amor que sentimos pelos nossos familiares. É sua força que ampara o momento de nascimento de um bebê e é, ainda, o sentido da educação que os pais dão aos filhos, regendo até mesmo as sanções aplicadas. 

Também é responsável por avivar esse sentimento dentro de um grupo como, por exemplo, numa corrente de médiuns do terreiro, transformando a convivência num ato familiar, proporcionando um sentimento de irmão para irmão um para com o outro. Rege as uniões, o lar, o casamento, o nascimento, os aniversários, as festas de família e caracteriza-se por harmonizar qualquer ambiente e pessoa. A atuação de Iemanjá se manifesta na necessidade de sabermos que as pessoas a quem amamos estão bem, plantando em nós aquele amor que sentimos pelo próximo, principalmente quando se trata de alguém a quem sentimos carinho. Simboliza a maternidade, o amparo materno, a grande mãe. 

Nas Linhas de trabalho da Umbanda, Iemanjá rege a linha dos marinheiros. A maioria das entidades que trabalham em sua vibração possuem a capacidade para curar por serem excelentes manipuladores da água, o elemento da vida, podendo regenerar tecidos e recuperar a vitalidade de cada órgão das pessoas. 


Os símbolos de Iemanjá são a estrela de cinco pontas, a lua, ou o abebê branco e sua data comemorativa dependerá do sincretismo e do terreiro, mas temos as seguintes: 02 de fevereiro quando sincretizada com Nossa Senhora dos Navegantes; 15 de agosto se sincretizada com Nossa Senhora da Glória ou 08 de dezembro quando sincretizada com Nossa Senhora da Conceição. O seu dia da semana é o sábado, a cor das guias é branca e azul claro, sua vela é azul clara e seu ponto de força é o mar. Seu metal é a prata e suas pedras são a água marinha e a turquesa.

Nas oferendas para Iemanjá usam-se velas brancas e azuis, rosas; champagne, calda de ameixa ou de pêssego, manjar, arroz-doce e melão, rosas e palmas brancas. Suas frutas são a melancia, melão, sapoti, mangaba, jenipapo, uvas brancas, uva Juliana. Suas ervas são a unha de vaca, folha de lágrima de Nossa Senhora, chapéu de couro, jasmim, anis, erva de Santa Luzia, pata de vaca, hortelã, alfazema e lavanda. As suas saudações podem ser: “Marabô Doyá”, “Alodê”, “Odofiaba”, “Minha-mãe”, “Mãe-d'água”, “Odoyá”. 

Iemanjá é também conhecida como Janaína, Dandalunda, Inaê, Sereia, Princesa do Mar, Rainha do Mar, Inaé, Mucunã, Dandalunda, Janaína, Marabô, Princesa de Aiocá e Dona Iemanjá, variando conforme a região e o culto. 

Características dos filhos de Iemanjá: 

Os filhos de Iemanjá são pessoas calmas, fortes, protetores, preocupam-se com os outros, de temperamento dócil e sereno, podem também se agitar por qualquer motivo. São caseiros, de grande fé, generosidade e simpatia. São chorões, impetuosos, arrogantes, ciumentos e a superficialidade e futilidade das aparências são defeitos que quando ocorrem prejudicam a sua vida financeira. Gostam do luxo, objetos caros e de pouca utilidade. A mulher filha de Iemanjá é amorosa, delicada, feminina, vaidosa, desde jovem busca a independência e estudará para subir na vida. O trabalho é importante para ela, pois lhe proporcionará independência e bancará as despesas que terá com seus gostos pessoais. Seu atrativo está na sua aparente fragilidade, mas pode ser muito teimosa, respondona e irritante.

O homem filho de Iemanjá é bondoso, delicado, justo, equilibrado, mas também indeciso e rabugento e desanima por qualquer coisa. São sensíveis às opiniões alheias, bonitos e têm presença marcante. 

Querido leitor, conforme dito, quem polariza com Iemanjá é Omolu do qual já foi feito um estudo anteriormente. Portanto esse é o último texto sobre os orixás pertencentes às sete linhas de Umbanda. Esperamos que tenham sido esclarecedores e que tenham gostado. Caso haja alguma dúvida ou queiram compartilhar conosco mais conhecimento ou tenham um posicionamento diferente, comentem abaixo para que juntos possamos aprender mais sobre nossos queridos orixás e nossa amada Umbanda.


Axé a todos!!

Odoyá, minha mãe Iemanjá!!

Natália de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário