terça-feira, 1 de agosto de 2017

As Bem aventuranças - Bem Aventurados os Aflitos.

As Bem aventuranças - Bem Aventurados os Aflitos.



   Todo Cristão já se deparou com este sermão de Jesus, consagrado como o Sermão da Montanha; nele, Jesus revela que àquele que sofre sem revoltar-se estão prometidos os gozos celestes.

   Certamente nos causa estranheza essas palavras: Bem aventurados os aflitos, porque serão consolados (Mateus. 5).

   Todas as Bem aventuranças citadas por Jesus no sermão da montanha, possuem duas partes: a primeira é o sofrimento e a segunda é a recompensa. Mas se for assim, mesmo aquele que sofre e se revolta, e blasfema será recompensado da mesma forma que aquele que sofre com dignidade, com amor no coração? A razão nos diz que não, que a condição para a consolação, é o bem sofrer.

   Em sã consciência ninguém gosta de sofrer ou se aquieta diante do próprio sofrimento ou mesmo diante do sofrimento de outrem, entretanto, existem muitas formas de viver os sofrimentos. O próprio Mestre Jesus, nos revela a condição em um momento crítico de seus instantes finais quando clamou ao Criador e disse:" - Pai, se queres, afasta de mim esse cálice, entretanto, não seja feita a minha vontade, mas o que Tu desejas.” (Lucas, 22)

   Na fala acima, Jesus demonstra que está em sofrimento e gostaria que este cessasse, no entanto, condiciona sua aceitação à vontade do Criador, pois este conhece melhor que qualquer um de nós nossas reais necessidades. Se o motivo de nosso sofrimento não tem origem na vida presente, terá essa origem em uma vida passada, então a forma como viver as dores fazem toda a diferença na contabilidade divina.

   Bem Aventurança quer dizer estar na glória de Deus e aflição é sofrimento causado por uma dificuldade, neste caso, vivemos aflições de maior ou menor grau durante toda a vida, entretanto, a resignação, que é a Ação de aceitar faz toda a diferença. Aceitar não significa cruzar os braços, é lícito àquele que sofre buscar se livrar do sofrimento, mas antes, é necessário deste sofrimento extrair uma lição, um aprendizado, caso contrário este se perpetuará até que aquele que sofre entenda o recado que o sofrimento está lhe transmitindo. 


   Assim como a dor física é um indicativo de que há algo errado com o funcionamento do nosso organismo, as dores emocionais, morais ou espirituais são um indicativo que nosso espírito está doente.

  Para citarmos apenas algumas aflições que nos atingem diariamente, falaremos aqui sobre a inveja e a raiva: a inveja é a NÃO ACEITAÇÃO do bem no outro, quando aceitamos, o bem no outro nos causa inspiração. A raiva é a NÃO ACEITAÇÃO do que não está em nosso controle; se aceitamos, tornamo-nos tolerantes e aquilo a que se tolera não tem poder negativo sobre nós.

  Analisando sob o prisma da aceitação nossos sofrimentos cotidianos, as palavras de Jesus adquirem novo sentido e passamos a entender que de fato, o sofrimento maior é a revolta, a não aceitação, pois quando aceitamos algo em nós ou no outro, a condição aceita se torna mais leve.

  Lembrando ainda, que temos ao nosso alcance a ajuda espiritual de tantos guias, mentores que estão dispostos a aliviar nosso sofrer, usemos, pois na oração, na fé, na prática da Caridade e do Amor o reforço para nos fortalecermos diante das dores da vida.

“Fio, se suncê precisar, é só pensar na vovó (no vovô), que ela vem te ajudar”.

Hélida de Nanã

Um comentário: