terça-feira, 29 de outubro de 2019

As Virtudes e os Vícios

As Virtudes e os Vícios 

Dando continuidade sobre a obra de Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, neste texto abordaremos o tema; Virtudes e os Vícios, esta temática é abordada no capítulo 12, livro III.
Primeiramente, os espíritos são questionados sobre os méritos adjacentes às pessoas possuidoras de virtudes, as respostas são bem claros e explicam que todas as virtudes são dignas de mérito, não existe uma virtude melhor que a outra, todas mostram a evolução do ser humano, no entanto não devemos buscar adquirir uma virtude apenas pelo seu mérito, toda virtude deve ser sustentada pela caridade e pelo amor. 
Ainda é clarificado que algumas pessoas conseguem fazer o bem sem pensar, já outras pessoas antes de fazer pensam duas (ou mais) vezes; isso acontece porque aquele que faz o bem sem pensar já possui a virtude internalizada no seu ser, e assim devemos buscar sempre ajudar sempre os próximos.
Resultado de imagem para As Virtudes e os Vícios

O bem deve ser feito sem pensar em quem, e por quem está sendo feito, aquela famosa frase que sempre aprendemos com os nossos queridos pretos velhos; Fazer o bem sem olhar a quem. Sempre devemos pensar na evolução sustentada pelo amor e pela caridade. Aquele que faz pensando na evolução não evolui, agora aquele que faz as coisas por amor e de coração, sem esperar recompensas e valorizações poderá ter a plena certeza que caminhará nos bons caminhos da vida.
Os espíritos também são questionados sobre a obtenção de conhecimento para a vida terrena, as respostas são bem claras e todas indicam que devemos sim adquirir conhecimento pessoal e científica durante a vida encarnada. Primeiramente, a aquisição deste conhecimento pode nos tornar capazes de ajudar outras pessoas, além do que a evolução espiritual se tornará mais rápida. O espírito por si só sendo perfeito é possuidor de todo o conhecimento, nos como seres em evolução devemos procurar o estudo como melhora diária e constante, para que possamos nos aproximar da perfeição divina.  
Assim podemos compreender o porque sempre temos que buscar o estudo, a Umbanda tem fundamento é preciso preparar, o preparo que devemos sempre fazer é o estudo, adquirir conhecimento faz parte da caminhada, não só espiritual, mas terrena também, pois o conhecimento é o maior símbolo de poder.  
Imagem relacionada
Os espíritos também são questionados sobre observarmos os defeitos dos outros, as respostas são claras e bastante interessantes. Podemos até observar os defeitos dos outros, no entanto nunca com o objetivo de julgamento, antes mesmo devemos fazer uma auto-análise buscando compreender se aquele defeito ja nao existe mais em nós. Quando observamos um defeito no irmao nao devemos repreendê-lo ou julgá-lo, pelo contrário, devemos dar a mão e buscar auxiliá-lo na melhora.
Para nós umbandistas, o julgamento é sempre um caso complicado, sabemos que tudo na vida tem dois lados, o que é justo para um não necessariamente será justo para o outro. Isso nos leva a crer que nao ha justica real, existe na verdade a ponderação, devemos sempre buscar a ponderação entre os dois lados na vida, porque tudo tem dois lados, duas opiniões, duas versões.
Nos como umbandistas, na procura da melhora, devemos sempre buscar não apontar o dedo, e sim dar a mão e ajudar, ensinar e estar de prontidão para quando os irmãos estiverem necessitados. Fazendo sempre o bem, com amor e caridade, sem olhar a quem.
Victor de Oxumarê

Nenhum comentário:

Postar um comentário