terça-feira, 22 de janeiro de 2019

A Prece

A Prece

Dando continuidade nos estudos, o tema abordado hoje é sobre a prece, apresentado no Livro terceiro, cap. II.

A prece é o ato de adoração a Deus, pensar nele, aproximar-se dele e comunicar-se com ele. Pela prece se faz três coisas: louvar, pedir, agradecer.  A prece agrada a Deus sempre que feita com fé, com amor, com o coração, com sinceridade. Não precisa ser feita por frases prontas. Aquelas vindas do coração são as mais verdadeiras, ao contrário das dos lábios, que nada valem. É um socorro que não se é recusado, a não ser para aqueles que são egoístas, orgulhosos e fazem a prece em vão. Com estes, Deus não se sensibiliza, a não ser que a pessoa tenha um sentimento de arrependimento e humildade. Aquele que ora sempre se fortalece, pois Deus envia espíritos bons para assisti-lo e o livrá-lo de todo o mal.


A eficácia da prece depende da maneira como é aplicada. Aqueles que oram muito, mas fecham os olhos para seus próprios defeitos não terão o mesmo resultado daqueles que a usam como um estudo de si mesmo. Deus sabe diferenciar o bem do mal e ajuda e perdoa àqueles que oram e mudam suas condutas.

A oração tem sempre como objetivo o bem. Pode-se orar para si mesmo quanto para alguém. Nossos pensamentos e nossas vontades têm um poder de ação muito além do que imaginamos. Sendo assim, a prece pelo próximo feita com sinceridade e ardência, atrai os espíritos bons em auxílio daqueles por quem oramos, fazendo com que lhe surjam bons pensamentos e a força necessária que seu corpo e alma precisam.

Se a prece feita de coração, sinceridade, humildade pode ser atendida, será que se fizermos por nós mesmos para mudar a natureza de nossas provas e mudar nosso curso, será atendida? Segundo os espíritos, Deus não pode mudar a ordem da natureza, a oração atrai espíritos bons para nos ajudar a passar pelas provações com coragem e nos dão forças para suportar os obstáculos. Se for de seu merecimento, Deus sempre vai te escutar e ajudar, ele nunca te deixa na mão.


A prece também pode ser feita em benefício aos mortos e aos espíritos sofredores, mas não tem efeito de mudar os desígnios de Deus. Ela faz com quem espíritos do bem se aproximem e os ajudam consolando e dando esperança para um caminho melhor.

Na umbanda não é diferente. A oração é atendida de acordo com o merecimento de cada um, de acordo com a forma aplicada e as mudanças que cada um está fazendo para merecer o retorno. A oração não deve ser feita apenas no momento de desespero ou por obrigação. Deve ser feita como agradecimento também e no momento em que seu coração sentir vontade de fazê-la. 

Karine de Nanã

Nenhum comentário:

Postar um comentário