segunda-feira, 2 de julho de 2018

Diversidade das raças humanas

Diversidade das raças humanas

Dando continuidade ao nosso estudo, vamos, agora para as questões 52 a 54  do Livro I, Capitulo 3, que tratam da diversidade das raças humanas.
52. Donde provêm as diferenças físicas e morais que distinguem as raças humanas na Terra? 
- Do clima, da vida e dos costumes. Dá-se aí o que se dá com dois filhos de uma mesma mãe que, educados longe um do outro e de modos diferentes, em nada se assemelharão, quanto ao moral.
53. O homem surgiu em muitos pontos do globo?  
- Sim e em épocas várias, o que também constitui uma das causas da diversidade das raças. Depois, dispersando-se os homens por climas diversos e aliando-se os de uma aos de outras raças, novos tipos se formaram.
a) Estas diferenças constituem espécies distintas? 
- Certamente que não. Todos são da mesma família. Porventura as múltiplas variedades de um mesmo fruto são motivo para que elas deixem de formar uma só espécie?
54. Pelo fato de não proceder de um só indivíduo a espécie humana, devem os homens deixar de considerar-se  irmãos? 
- Todos os homens são irmãos em Deus, porque são animados pelo espírito e tendem para o mesmo fim. Estais sempre inclinados a tomar as palavras na sua significação literal.”
52. De onde vêm as diferenças físicas e morais que distinguem as variedades de raças humanas na Terra?
- Do clima da vida e dos hábitos. Dá-se o mesmo que se dá com duas crianças da mesma mãe, que educadas uma longe da outra e de maneira diferente, não se assemelhassem em nada quanto à moral.
53. O homem apareceu em muitos pontos do globo?
- Sim e em diversas épocas, e é essa uma das causas da diversidade das raças.  Depois, o homem se dispersou pelos diferentes climas, e aliando-se os de uma raça aos de outras, formaram-se novos tipos.
53- a) Essas diferenças representam espécies distintas?
- Certamente não, pois todos pertencem à mesma família. As variedades do mesmo fruto acaso não pertencem à mesma espécie?
54. Se a espécie humana não procede de um só tronco, não devem os homens deixar de considerar-se irmãos? 
- Todos os homens são irmãos em Deus porque são animados pelo espírito e tendem para o mesmo alvo. Quereis sempre tomar as palavras ao pé da letra.
Relembrando a questão primeira, Deus é a causa original de tudo. O que nos irmana não são os laços sanguíneos, regionais, culturais ou mesmo a nacionalidade, o que irmana a humanidade é sua origem espiritual. Claramente explicada está a diferença física entre os povos, tanto pela influência do clima e demais fatores físicos, como também pela influência dos troncos dos quais se originaram cada povo, lembrando que o tronco em comum a todos é Deus.


Na oração considerada universal para o Cristão, Jesus disse: “Pai nosso”.  Nessa pequena frase, o pronome nosso nos remete ao entendimento de que somos, sim, irmãos.
Princípios basilares da Umbanda são o Amor e a Caridade. Ambas virtudes nos cegam para qualquer diferença externa e temos aprendido com os guias (sejam eles da esquerda ou da direita) todos os dias, que o que nos iguala é a fonte de onde promana toda vida. Assim, avançando um pouco mais, consideramos irmãos não só o outro, mas também os animais, as plantas e os minerais onde a consciência estagia. Além disso, a Umbanda é uma doutrina reencarnacionista, como o espiritismo, e assim sendo, sabemos que podemos reencarnar em vários pontos do globo, em qualquer raça, em qualquer sexo ou aparência física de acordo com nossas necessidades de aprendizado e enquanto o corpo é perecível. 
O que difere os espíritos uns dos outros é apenas o grau evolutivo, ou seja, o quanto aprendeu com a vida.

TODA FORMA DE PRECONCEITO É UMA ABOMINAÇÃO E DEVE SER COMBATIDA, TANTO DENTRO COMO FORA DE NÓS.


Hélida de Nanã 

Um comentário: