sexta-feira, 27 de julho de 2018

Escala Espírita

Escala Espírita

Vamos fazer um estudo hoje sobre as escalas dos espíritos, tema constante no capítulo 1 do livro II dos espíritos.
A classificação dos espíritos está fundamentada em seu grau de desenvolvimento e nas qualidades adquiridas e imperfeições das quais ainda não se livraram.
Essa classificação não tem nada de absoluta, pois nenhuma categoria possui caráter bem definido, a não ser no conjunto. De um grau a outro a transição é insensível, pois como na natureza as diferenças se apagam ou ainda nos diferentes períodos da existência da vida humana.
Podemos, portanto, formar maior ou menor número de classes, como acontece com as classificações científicas: Os sistemas podem ser mais ou menos complexos, mais ou menos racionais, mais ou menos cômodos à inteligência.
Os espíritos admitem, normalmente, três categorias principais, ou três grandes divisões:
São eles os espíritos imperfeitos, os espíritos bons e os espíritos puros. Observaremos, entretanto, que os espíritos não pertencem para sempre a esta ou aquela categoria, seu progresso se realiza de forma gradual, como se efetua mais em um sentido que em outro, eles podem reunir características diferentes, de graus diferentes. O que podemos facilmente observar por sua linguagem e seus atos.
Na umbanda, há a presença de diversos espíritos. Aqueles que trabalham em nossa religião possuem uma grande luminosidade, entendimento e amor, propagando sempre o bem. Não podemos dizer com exatidão sobre uma escala espiritual de evolução referente aos trabalhadores de umbanda haja vista a imensidão de assuntos que ainda fogem ao nosso entendimento.


Porém, sabemos que há linhas de trabalho, nas quais cada falange espiritual trabalha de forma específica em algum ponto que precisamos evoluir. E, conforme nos foi ensinado, isso se dá não porque um preto velho necessariamente seja mais evoluído que um exu, ou vice-versa, mas sim porque esses espíritos necessitam naquele momento trabalhar naquela linha de trabalho tanto para auxiliarem os encarnados a evoluírem, como também eles mesmos evoluírem, visto que a evolução se dá constantemente. 
O importante é sempre nos lembrarmos de que somos capazes de fazer crescer a luz dentro de nós, e que estamos caminhando para retirarmos do nosso espírito aquilo que não nos acrescenta. E graças ao amor divino, temos a orientação dos guias dia a dia nos mostrando que não estamos sozinhos nessa caminhada. 
Abraço a todos! Tenham um lindo dia!


Carlos de Oxóssi & Natália de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário