sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Influência oculta dos espíritos em nossos pensamentos e atos

Influência  oculta dos espíritos em nossos pensamentos e atos

Em continuidade aos nossos estudos, o presente texto abordará sobre o tema Influência  oculta dos espíritos em nossos pensamentos e atos, tema presente no capítulo IX, parte segunda. Os espíritos se fazem presente a todo momento em nosso contato terrestre, e mais do que questionável é saber até que ponto somos influenciados por estes. Se pensarmos, somos espíritos que pensamos e temos nossos próprios atos, mas com pensamentos confusos na maioria do tempo. Os caminhos nos são apresentados e a aproximação com os espíritos que estão nos influenciando depende da nossa vibração. 

O entendimento sobre tal influência foi explicado da seguinte maneira: “Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.” Concluindo que é comum sermos dirigidos em primeiro momento pelos espíritos, mas nunca esquecermos de que somos seres pensantes e temos nossas próprias características.

A distinção é notável para aquele que busca o entendimento. Como tratado no Livro dos Espíritos, o pensamento que se dá no primeiro momento geralmente são da própria pessoa e aqueles que vão surgindo no decorrer são pensamentos de espíritos ao seu redor e o caminho sempre será tomado pelo encarnado. Lembrando que todo ato tem consequências.


Visto que alguns homens são considerados como inteligente ou gênios, é comum questionarmos de onde vem tanta sabedoria e se são os pensamentos próprios ou influência. A resposta dada é que depende, algumas vezes vem do próprio espírito e outras são sugeridas por espíritos que julgam capacitados para tal conhecimento. Distinguimos os pensamentos à medida que Deus nos permite, pois então iremos conservar na indecisão do que seriam dia e noite, como dito.

Ao serem questionados sobre como distinguir o bom espírito do mau espírito, somos direcionados a estudar o caso e sempre ter o bom senso, pois nada que vem do bem irá nos encaminhar para lugar distinto deste. Atender sempre às boas inspirações é uma forma de evitar sair do rumo do que é bom.

Os espíritos imperfeitos nos induzem ao mal com a intenção de sofrermos a mesma dor que eles sentem, sem que cause qualquer diminuição no sofrimento deles. Suportar a felicidade do espírito que influenciam já lhe causam uma angústia. Essa permissão é como um instrumento para que o homem consiga provar sua fé e que persista em praticar o bem, passando por essas provações. Os espíritos só vibram na mesma energia que o outro emana e a vontade do homem pode repelir ou atrair, como exemplifica o termo usado 'o gato que tocaia o rato’.

A prática do bem é o que te afasta dessa influência, caminhar na luz divina e procurar sempre força na sua fé, pois da mesma forma que aproxima espíritos evoluídos pode ocorrer o inverso. Nenhum espírito é destinado a fazer o mal, mas não entendem o bem e como chegar até este. Vagam na obscuridade e se alimentam de pensamentos negativos dos homens, pois se fundem com a ideia de gerar a prática do mal.


A umbanda é luz, caridade e amor. As entidades são espíritos que nos orientam ao caminho do bem e que nos abrem as vistas para as opções que nos são oferecidas. Observamos que o sentimento de acolhimento e cuidado das entidades para conosco é imenso e notável, as palavras que nos incentivam a sermos pessoas melhores e vivermos na luz. Orai e vigiai. A energia que você vibra diz muito os pensamentos que você atrai. Desejar sempre o bem ao próximo e a si mesmo é o primeiro passo para afastar energias baixas.


Concluímos com essa parte do livro é que estamos aqui na Terra para termos a oportunidade de crescermos e evoluirmos como espíritos encarnados, sendo oferecido um constante aprendizado e cabe a nós mesmo entendermos o sentido da nossa vivência terrestre. Lembrando-nos que o erro não é justificável por influências, pois nós temos o livre arbítrio. E que por mais proteção que lhe é oferecida, só nós vamos atrair as energias que queremos.


Lara de Ogum Iara

Nenhum comentário:

Postar um comentário