segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Anjos-de-guarda. Espíritos protetores, familiares ou simpáticos

Anjos-de-guarda. Espíritos protetores, familiares ou simpáticos

Dando continuidade aos nossos estudos, falaremos sobre Anjos-de-guarda, tema presente no capítulo 9, livro II. Espíritos protetores, familiares ou simpáticos. Todos nós, independente de religião, temos anjos da guarda que nos protegem e acompanham no decorrer da vida. Alguns, além da vida material. Esses anjos guardiões são espíritos protetores de uma ordem elevada, seres evoluídos de muita luz. Esses espíritos têm a função como de um pai para um filho, qual seja, a de guiar, proteger, ensinar, aconselhar, consolar e dar força nas dificuldades. Eles se ligam a nós do nascimento à morte(como citado anteriormente, alguns casos vêm de outras vivências e continuam após a morte física). 

O espírito protetor se torna obrigado a velar pelo espírito em evolução a partir do momento em que ele aceita a missão de acompanhá-lo. Mas antes disso eles podem, em alguns casos, escolher algum pelo qual tenha mais simpatia, isto é, afinidade. Por esse espírito protetor se ligar a alguém, ele não renuncia aos demais, porém, aquele(o qual foi escolhido) se torna prioridade. Algo que muita gente não sabe é que alguns desses espíritos protetores poderão, durante a caminhada do espírito em desenvolvimento, renunciar a missão. Claro que não por motivos fúteis, mas por necessidades acima de nossa compreensão. Com isso, o nosso guardião será substituído.


Em alguns casos, os anjos guardiões podem se "afastar" de seu protegido. Normalmente quando esses protegidos, em momentos de fraqueza, deixam sua energia cair para um padrão muito baixo, se tornando mais suscetíveis à influência de maus espíritos, consequentemente ignorando os conselhos de seu guardião. Se "afasta" mas nunca abandona.

Uma dúvida que muitas pessoas têm é: Por que nossos espíritos protetores às vezes nos deixam "sair do caminho"? Com certeza não por falta de força, mas porque querem, porque nós precisamos. É necessário para obtermos aprendizados que não conseguiríamos de outra forma. Isso é parte da evolução, tornando-nos espíritos mais fortes.

Simultâneamente, existem também espíritos familiares e simpatizantes. Estes, respectivamente, se ligam ao lar e através de similaridade/afinidade. Os espíritos familiares, apesar do nome, não se ligam diretamente à família, mas a membros dela e, consequentemente, ao lar, assim agindo por todos. Eles são atraídos pela egrégora formada no ambiente. Os espíritos simpatizantes são espíritos que atraímos através da nossa energia, podendo ser eles tanto bons como maus, também conhecidos como gênio bom ou gênio mau.

Na umbanda, os anjos guardiões têm a mesma definição, a mesma função. Nos acompanham, protegem e guiam, andam sempre com seu protegido. São como guerreiros, combatem o mal pelo qual não precisamos passar e os maus espíritos que às vezes tentam nos induzir. Como do lado espiritual não existem indisposições materiais, então independente da distância deles para com o nosso corpo e espírito, a influência é a mesma, tem a mesma força.

Trabalhamos também com guias espirituais que são escolhidos antes mesmo da nossa encarnação. Da mesma forma que os anjos guardiães podem se "afastar" pelos motivos explicados anteriormente, os guias espirituais da umbanda também podem. Estes são como os espíritos simpatizantes, podem ser definidos de acordo com a afinidade e semelhança, espiritual e energética, por determinação de nossa vibração nativa em nossa atual existência ou pela afinidade no grau de conhecimento. Existe o guia espiritual responsável por toda nossa linha espiritual, nossa coroa, determinado pelo Orixá e pela sua missão em sua existência. Devemos compreender que, além da afinidade existente, são espíritos determinados por superiores cósmicos, para nos acompanharem durante nossa missão.

Vale ressaltar que tudo aqui citado não é regra, é uma maioria. Tentar padronizar, ou sequer entender o mundo espiritual completamente, deixaria qualquer um louco, pois são coisas que vão além da nossa capacidade de compreensão.
Por fim, você atrai espíritos simpatizantes de acordo com seus atos e pensamentos, ou seja, pensamentos elevados atraem espíritos benéficos, pensamentos de baixa vibração, atraem espíritos maléficos, que não têm a acrescentar. Estes espíritos também são conhecidos como eguns, quiumbas, zombeteiros, etc. Você é completamente capaz, tem total controle de escolher o que/quem deseja ter por perto, definir sua energia. 

Orai e vigiai.



Júnio de Oxalufã

Nenhum comentário:

Postar um comentário