terça-feira, 20 de junho de 2017

As Sete Linhas de Umbanda

As Sete Linhas de Umbanda

  

            Como já foi feito um estudo anterior sobre orixás, adentraremos agora em um tema muito importante no universo umbandista e que está intimamente ligado aos orixás. As sete linhas de umbanda são traduzidas como as sete principais energias de Deus, sendo elas; Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração. Cada uma dessas linhas possui dois orixás principais que são responsáveis por manipular um determinado tipo de energia. Um desses orixás é responsável por irradiar a energia da linha e o outro fica responsável por absorver essa mesma energia quando a mesma esta em desequilíbrio.

       Um exemplo simples de como isso funciona, está na linha da fé. A fé é muito importante para qualquer pessoa. Mesmo os ateus necessitam ter fé, acreditar em algo, nem que seja na ciência e principalmente em si próprios. Nesse sentido, oxalá, que é o orixá irradiador do trono da fé, atua nas pessoas de forma a gerar essa fé. No entanto, quando a fé é muito abundante também poderá gerar vários desequilíbrios, sendo o fanatismo o mais comum deles. Para evitar essa “sobrecarga” de fé existe Logunan (ou Oia tempo) que é o orixá absorvedor dessa linha. Desta mesma forma atuam os orixás regentes das outras linhas de umbanda.
        Apesar de haverem classificações diferentes de diferentes escolas umbandistas, apresentaremos a seguir o modelo das sete linhas que nosso terreiro segue. Este modelo é bem recente e foi apresentado por Rubens Saraceni através de seus mentores.
           
          As sete linhas de umbanda com seus respectivos orixás irradiadores e absorvedores:

Fé (1ª Linha): Oxalá e Logunan
Amor (2ª Linha): Oxum e Oxumaré
Conhecimento (3ª Linha): Oxossi e Obá
Justiça (4ª Linha): Xango e Yansã
Lei (5ª Linha): Ogum e Oroiná
Evolução (6ª Linha): Obaluaiê e Nanã
Geração (7ª Linha): Iemanja e Omolu 

            As linhas da fé, amor e conhecimento são mais simples de serem entendidas, uma vez que seus próprios nomes já são bem sugestivos. Da mesma forma como a fé, que
naturalmente é algo bom para o ser, pode gerar desequilíbrios, o amor e o conhecimento também podem. O amor em excesso pode gerar paixões obsessoras podendo resultar até mesmo em crimes passionais. E o conhecimento em desequilíbrio pode levar alguém a loucura, ou até mesmo ser usado para fins egoístas, como para manipular outras pessoas.

           As linhas da Justiça e da Lei são mais complexas de serem entendidas já que são indissociáveis. Essas linhas têm como propósito levar o que é de merecimento para cada ser, tanto coisas boas quanto as ruins. Elas, no entanto, seguem à Justiça e lei divina, muitas vezes sendo conflitantes com a razão e leis humanas. Os orixás da linha da justiça são responsáveis pelo equilíbrio, sendo assim, eles consomem os mais diversos tipos de desequilíbrios (grande parte das vezes relacionados a questões emocionais) e a partir disso, logicamente, nos tornam mais equilibrados. A linha da Lei é responsável por mediar as leis kármicas, as aflições, as lutas e batalhas da vida. As atuações dos orixás dessa linha nos estimulam a ordem.
           
          A linha da evolução, como próprio nome sugere é responsável pela evolução de todos os campos da vida, podendo, os orixás dessa linha, acelerar ou estagnar esses processos de acordo com a necessidade e o merecimento. É a linha responsável pela transformação de pensamentos, ideias, do ser e da vida como um todo.

        A linha da geração refere-se não somente à geração e ao fim da vida, como intuitivamente é associada. Diz respeito, ainda, ao fim dos ciclos da vida e ao início de novos ciclos. Existem, inclusive, casas umbandistas que têm como tradição o culto a essa linha na passagem de um ano para o outro, pedindo para que Omolu encerre todos os ciclos viciosos e prejudiciais da vida e que Iemanjá gere novos ciclos saudáveis que possam deixar o ser mais pleno e próximo de sua essência divina.

           Com essa breve explicação, podemos notar que as linhas também se comunicam entre si. Por exemplo, para a linha da evolução permitir o desenvolvimento de alguma característica são levados em consideração aspectos relacionados a lei e a justiça divina, ou seja, ao merecimento. Esses entrecruzamentos acontecem todas as sete linhas. Em breve publicaremos textos tratando de cada orixá separadamente, o que facilitará ainda mais o entendimento das linhas.

Axé!
Ricardo de Ogum Matinata

 

4 comentários:

  1. Salve as sete linhas de Umbanda!!

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber onde fica e dias de atendimento e hora.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde,
    Desculpe a demora em responder, espero que tenha conseguido encontrar o terreiro de outra maneira.
    De qualquer forma passarei as informações solicitadas, caso ainda haja o interesse ou casa haja outro visitante a procura das mesmas informações:

    As Giras abertas da tenda de umbanda caboclo 7 flechas e cabocla jurema acontecem as 19 horas na chacra nº12 do condomínio dos cristais, em Bom Despacho-MG. É possível encontrar a localização no google mapas digitando o nome da tenda.

    Axé.

    ResponderExcluir