quinta-feira, 29 de junho de 2017

Bebida e Fumo na Umbanda

Bebida e Fumo na Umbanda



   Um tema polêmico e distorcido entre aqueles que não conhecem o que realmente é, os fundamentos e para que serve, e por esse motivo temos grande discriminação da religião, sendo muitas vezes chamada por aqueles que não têm conhecimento de fato como "baixo espiritismo" ou que os espíritos trabalhadores da Umbanda são de grau evolutivo inferior, o que não é verdade. 

   Então vamos lá, primeiro o uso da bebida e fumos não é exclusivo da Umbanda, já mesmo na religião Católica, em toda missa o padre bebe o vinho, simbolizando sangue de Cristo. O espírito considerado por muitas religiões o mais evoluído que esteve no Planeta encarnado, Jesus Cristo, fez muito o uso dessa bebida alcoólica, utilizando o vinho e até mesmo transformando a água em vinho, brindando o amor de Deus. Temos também os indígenas e cultos xamânicos que, além de utilizarem bebidas de poderes, usam também fumos e chás, como o Santo Daime, União do Vegetal (Ayahuasca), Rastafári, etc. Na África, temos uso também do vinho como néctar divino, temos os antigos Deuses Gregos e Romanos, como Dionísio e Baco, como Deuses do vinho.

   Após mostrar o uso das bebidas e fumos em algumas culturas e religiões, vamos seguir o raciocínio, estes elementos (bebida e fumo) têm o poder de quebrar barreiras espirituais,
conexão do ser encarnado com o espiritual e o divino, desde que usados da maneira correta. Cada religião tem uma forma de utilizar. Na umbanda é utilizada pela entidade que ali se manifesta e manipula as energias daquela bebida ou fumo de maneira a limpar o corpo do consulente e do médium, de larvas astrais, revitalizando seus corpos espirituais e alinhando seus chakras, também trabalhando com cura, seja física ou espiritual de acordo com a necessidade de cada encarnado que ali busca auxílio.

   O que gera maior preconceito da utilização da bebida e do fumo é por que as pessoas utilizam na forma de recreação, além disso em excesso, trazendo prejuízo no corpo físico e espiritual da pessoa devido ao mal-uso. Mas não devemos julgar pelo fato das pessoas utilizarem de forma inadequada esses recursos, pois a entidade nem a religião Umbanda, ou qualquer outra religião não é culpada por este mal-uso de elementos que podem levar ao sagrado. Na grande parte das vezes os julgamentos vêm do não saber o que realmente é ou como funciona devido ao pouco conhecimento sobre tal fato.




   Na Umbanda utiliza-se de alguns termos como Marafo (aguardente), palito (cigarro), pito (charuto), entre outros, além de serem utilizados para limpeza e purificação dos consulentes e médiuns, também é utilizado para limpeza de ambientes. A bebida e o fumo utilizado pela entidade varia com seu arquétipo, por exemplo, Preto Velho utiliza café e cachimbo, já um Exu  marafo e charuto, já os Erês(entidades que se manifestam com arquétipos de crianças) utilizam sucos, balas e doces. Mas nada impede de utilizarem outros tipos de bebidas e fumos, por exemplo, o Exu utilizar água, ou mesmo não utilizar, pois isso não é regra e sim vai da necessidade do tipo de trabalho que irá realizar aquela entidade. O fumo e a bebida também podem ser utilizados em determinadas oferendas, como é explicado no texto já publicado anteriormente. 

   O médium fica bêbado? Não, o médium que trabalha de forma correta, respeitando os fundamentos de Umbanda, confiando em seu guia, mantendo seu corpo preparado para mediunidade e respeitando os limites de sua mediunidade não fica bêbado, se isso ocorrer tem algo errado, normalmente não fica nem o cheiro da bebida nem os efeitos do cigarro, pode ficar cheiro da fumaça na roupa do médium, ou do marafo caso a entidade jogue um pouco para fazer algum trabalho, mas o médium não fica bêbado, se isso ocorre ou ocorreu é porque alguma coisa precisa ser corrigida, tem alguma coisa errada e o próprio médium deve procurar saber, perguntando à entidade ou Pai de Santo ou dirigente do terreiro e sanando imediatamente, pois esse não é o objetivo do uso da bebida nem do fumo. Existem relatos de médiuns que trabalharam com as entidades incorporadas utilizando de bebidas alcóolicas e fizeram teste do bafômetro e foi constatado zero de álcool. 

   O álcool usado pelas entidades é volátil e tem representação da transição do plano material para plano etéreo e é o fogo em estado líquido pelo seu alto poder de combustão, muitas vezes utilizado para limpar áreas que estão sendo tratadas espiritualmente, outras vezes utilizado para visualizar enfermidades do consulente, por exemplo, quando pede para o consulente beber um pouco é como se fosse um "contraste", lembrando que se a pessoa não puder beber ela vai apenas pegar e sentir o cheiro e absorver espiritualmente o Axé(boa energia) da bebida, mas caso possa, irá beber o pouco que foi pedido, pois aquela bebida não é uma bebida comum para recreação, é uma bebida com o Axé daquela entidade, consagrada por ela. É também utilizada de inúmeras outras formas.

   O Fumo possui características vegetais, trazendo terra e a água e, ao ser aceso criando a combustão, traz o fogo e o ar, assim carrega os quatro elementos, os quais são utilizados para limpeza dos Chakras, destrói  os campos magnéticos negativos, quebra vínculos de obsessões, desestrutura larvas e miasmas astrais, entre outros efeitos. 

   Bebidas e fumos são assuntos vastos e polêmicos, mas devemos estudar e compreender antes de fazer o julgamento de algo que está fora de nosso alcance quando não temos o conhecimento. Ouvimos nos pontos cantados "A Umbanda tem fundamento", e sim tem muito fundamento, basta estudar para começar a mergulhar nos mistérios divinos.


Saravá, Axé!


Igor de Oxum

Nenhum comentário:

Postar um comentário