segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Prelúdio da Volta

Prelúdio da Volta

Vamos, neste texto, abordar sobre PRELÚDIO DE VOLTA, assunto presente no livro II, capítulo VII, do Livro dos Espíritos.
A palavra prelúdio significa ação preliminar que antecede a realização de uma ação maior. Nesse texto iremos ver algumas ações que antecedem o processo reencarnatório.
Quando nosso espírito se encontra na erraticidade, que é o estado que os espíritos se encontram antes da reencarnação, todos eles pressentem tal hora chegando. É citado no livro dos espíritos que pressentimos o momento chegando como um cego que se aproxima do fogo e o sente, assim como muitas pessoas enquanto encarnadas  também pressentem que voltarão para o mundo espiritual (desencarne).
A reencarnação é uma necessidade da vida espírita , assim como a morte é uma necessidade para a vida corpórea. Precisamos retomar a um corpo  para reeducarmos nosso espírito em direção à perfeição.Precisamos desse corpo físico para que, através das nossas lutas diárias, possamos aprimorar nossos valores e elevar o nível da consciência a uma padrão vibratório mais sutil.
Nem todos os espíritos se preocupam com o processo evolutivo, tanto no mundo espiritual quanto no plano material. Há, também, aqueles que nem compreendem suas responsabilidades e acabam pensando que sua existência é apenas um passeio. Isso se dá pela natureza mais ou menos evoluída de cada um.


No plano espiritual (erraticidade), um espírito pode apressar ou retardar o momento de sua volta. Apressar através de seus votos ardentes ou retardar se recuando diante das provas que lhe foram impostas, mas sofrendo as consequências do fato. Mas  vale lembrar que não se pode adiar indefinidamente o momento da reencarnação pois a evolução é uma necessidade do espírito, a evolução é uma lei de Deus.
Existe um planejamento reencarnatório perfeitamente  elaborado para que atenda à necessidade evolutiva de cada um de nós. Todos nascemos nas nossas famílias, seja por afinidade ou antipatia, mas sempre por necessidade.
Existe sempre a indagação se um espírito pode escolher o corpo e o gênero no qual irá se reencarnar no plano material. Sim, poderá , mas sua vontade será atendida ou não, conforme sua evolução e necessidade de encarnar naquele corpo escolhido. A decisão de escolha do corpo a que o espírito irá encarnar pode ser feita por Deus que, com sua suprema bondade, lança o espírito em um corpo compatível com suas reais necessidades evolutivas.
No processo reencarnatório, a perturbação é maior que no rompimento dos laços e desprendimento  entre o espírito e o corpo físico.
Forças perispirituais no nascimento:
Impulso de contração, Força Hipodinâmica: é a contração do espírito para que tome a forma de feto, minitualização persipiritual, contato com o útero materno.
Impulso de Expansão, força Hiperdinâmica: onde se dá o crescimento da consciência do ser.
Os espíritos citam para Kardec uma metáfora de que a nossa jornada terrena é como a jornada de um marinheiro que embarca numa aventura sabendo dos riscos e perigos que irá enfrentar, mas sem saber se voltará.


Teremos espíritos amigos nos acompanhando momentos antes da nossa vinda, dependendo da nossa esfera íntima. Se estiver na esfera onde reina o amor e a afeição entre os espíritos,  amigos o acompanharão até o último momento e frequentemente em toda a jornada terrena, sendo assim um motivo a mais para que estreitemos os nossos laços afetivos com nossos irmãos terrenos.
Este ensinamento é de extrema importância, também, dentro da Umbanda. Esta, sendo uma religião que acredita na manifestação dos espíritos, possui, ainda, como um de seus embasamentos, os ensinamentos da doutrina espírita. Portanto, é uma religião que acredita na reencarnação e, nós umbandistas, nessa jornada terrena, contamos com o auxílio de todas as entidades de Luz que nos orientam, acolhem e dão forças nessa encarnação.
Por fim confie sempre em Deus, na sua jornada e na sua força. Pois a vida é linda, nosso planeta é lindo e nele temos a chance de nos aperfeiçoarmos aprendendo amar e ser amados.
Axé !


Marcelo de Oxalá

Nenhum comentário:

Postar um comentário