segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Simpatia e Antipatia Terrenas


Simpatia e Antipatia Terrenas

Dando continuidade aos estudos do Livro dos Espíritos, iremos abordar o tema Simpatia e Antipatia Terrenas, presente no Livro II, Capítulo VII.
Antes, vamos entender mais sobre simpatia e antipatia terrenas. A simpatia é uma relação entre seres que tenham afinidades no modo de sentir e de pensar. Sempre que falarmos em simpatia vamos lembrar no poder da atração, na vibração positiva. A antipatia é uma aversão espontânea irracional, repulsiva em relação a outro Espírito, que se reconhecem sem nem mesmo se falarem. Muitas das vezes, um amor não nasce de uma simples semelhança, de modos ou de apenas interesses comuns. Ele pode ser também resultado de um longo processo de dezenas ou centenas de vidas passadas em que as almas viveram juntas. Nessas experiências conjuntas, ambas foram passando por inúmeras situações, enfrentando desafios, superando obstáculos e que se envolveram em laços afetivos um com o outro, brotando daí uma profunda identificação e um sentimento verdadeiro. São Espíritos que em meio a uma multidão se sintam atraídos um com o outro, mas que não vão se reconhecer de vidas passadas, até porque essas lembranças de vidas anteriores seriam inconvenientes, maiores do que possamos imaginar.


Porém, depois de desencarnados, vão se reconhecer e saberão que passaram tempos juntos e tiveram afinidades em comum. No nosso dia-a-dia temos relações de simpatia e antipatia a todo instante, em relações a gostos, ideias, que podem começar em uma sala de consultório ou até mesmo em uma fila de banco. E, muitas das vezes, não estão associados a vidas passadas, mas que diante da profundidade desses vínculos, podem ser levados para outras reencarnações.
Um dos principais motivos da encarnação é o de poder trabalhar o sentido de buscar melhorias internas, de aperfeiçoar nossas qualidades e nos esforçar para deixarmos de lado nossas imperfeições e atingir a cada dia a perfeição Espiritual.
Da mesma forma com que os encarnados se agrupam aqui na Terra através dos laços familiares, das amizades e do amor, existem também os laços com nossos guias, que através das vibrações e das energias que o médium irradia, obtém uma afinidade maior com eles. São guias que estão trabalhando na irradiação do médium, com o objetivo de desenvolverem juntos a espiritualidade. Então, a simpatia e antipatia vão de acordo com seus pensamentos, da forma com que você está irradiando essa vibração e assim vai atrair Espíritos na mesma intensidade.
O poder do pensamento é uma relação de atração e atraímos espíritos simpáticos através das nossas ações. A afinidade mental e vibratória do médium faz com que cada entidade se aproxime dele e estabeleça o vínculo mediúnico para o trabalho na caridade dentro de cada linha. Existe no universo uma lei imutável: Os iguais se atraem e os diferentes se repelem. Num relacionamento mediúnico é importante que o desencarnado e o encarnado tenham o livre arbítrio respeitado. Então, a simpatia e antipatia é de acordo com a sua vibração e por isso é tão importante que sejamos seres bons e dignos, tanto nessa vida como nas outras encarnações.


Moni de Oxalá

Nenhum comentário:

Postar um comentário