quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Escolha das Provas

Escolha das Provas

Tentando compreender o processo reencarnatório, Kardec, nas perguntas 258 e 259 do capítulo VI do livro dos espíritos, questiona quando o espírito toma consciência das provas que terá que experenciar em sua vida terrena. E a resposta dada pelos espíritos é que nada acontece sem a permissão de Olorum e que somos nós quem escolhemos cada uma das nossas provações, porém não se é possível prever os mínimos detalhes dessas provas. Será mais penosa ou mais fácil de ser superada, dependendo da nossa caminhada individual no planeta, de acordo com o curso da nossa vida e nossas ações.
Em seguida, a pergunta que se segue tem o intuito de compreender o arranjo das famílias, e a resposta dada é que cada um está onde deve estar. Aqueles que estão no seu grupo familiar têm a condição necessária para crescer, pois só é possível combater um mal estando de frente para ele. Por exemplo, para combater o vício é preciso que você esteja em um ambiente que te favoreça ao vício, para que assim possa ser superado. Portanto, um espírito não precisa passar por tentações de todas as naturezas para se libertar do orgulho e do egoísmo, aquele que desde o princípio seguiu o caminho do bem exime de sua jornada muitas provas, mas aquele que deixa ser levado pelo caminho das sombras passará por caminhos tortuosos para ser novamente levado ao encontro do Pai


A caminhada rumo ao progresso é como a do humanoide no processo de desenvolvimento até atingir a idade adulta. Quando pequeno, precisamos ser guiados pelos nossos pais, assim, quando o espírito ainda é simples e ignorante no princípio de sua existência, Zambi traça um caminho que devemos seguir e começamos nossa jornada. Com o passar do tempo e com nossas experiências, vamos adquirindo razão e, a partir daí, o nosso livre-arbítrio, nas escolhas das nossas experiências corpóreas, passa a ser decidido por nós mesmos.
O espírito,na erraticidade, escolhe suas provas de acordo com a natureza de suas faltas. Livre da ilusão do olhar da matéria, observando sua vida por uma perspectiva espiritual, o ser analisa todas suas experiências e assim as condições que quer viver na próxima existência carnal. Pode,  assim, experimentar através de privações para suportar com coragem, ou com tentações. Outros também buscam experimentar suas forças nas lutas em contato com o vício. 

Aqueles cujo senso moral está pouco desenvolvido e que escolhem suas provas para satisfazerem seus prazeres carnais, Zambi permite essa escolha. Por si só tomarão consciência e voltarão ao caminho do bem se resgatando através de uteis provações. 
Estamos em constante progresso. Quando desencarnamos, vemos a nossa existência com o olhar espiritual, e a partir daí começamos a traçar a nossa nova existência para aprimorar aquelas falhas que tivemos nessa caminhada. A primeira vista, é comum pensar que quando desencarnados, caso precisemos retornar, iremos escolher as provas menos penosas, porém vemos apenas do ponto de vista material. Na erraticidade, imploramos pela prova mais dolorosa assim como um doente opta por um remédio mais degradante a fim de curar-se prontamente. Pode também escolher provas que ainda não tenha condição de conquistar ou uma que não tire nenhum proveito, mas quando retorna ao mundo espiritual, pede outra para suprir o tempo perdido. Cada um segue um caminho, pois a caminhada é singular, por isso a diversidade existente no planeta. 
Um ser de um mundo inferior pode reencarnar na Terra tentando dar um salto na sua evolução, porém ficará deslocado no meio que vive por não ser compatível com seus instintos. 

Pode ocorrer também a inversão de papéis, em que uma pessoa que abusou sexualmente de outros escolha vir passar por situações da mesma natureza a fim de se purificar. Pode, também, um ser de maior grau de evolução, reencarnar em mundos menos desenvolvidos moralmente a fim de ocupar papel de influência e ajudá-los a progredir, como vemos Chico Xavier, Tereza de Calcutá, Gandhi, Mandela, Sai Baba, Sidarta Gautama (Buda), Confúcio, Francisco de Assis e o que marcou a era de peixes, o ser mais evoluído moralmente que já pisou no planeta Terra, Sananda Kumara mais conhecido como Jesus, o Cristo; entre outros. Esses vêm com o propósito da missão, e não de expiação ou prova.
Para melhor compreensão a respeito das escolhas do espírito na sua experiência corpórea faça a leitura das perguntas 258 a 273 do “Livro dos Espíritos” de Allan Kardec.
Axé a Todos!

Ryan de Oroiná

Nenhum comentário:

Postar um comentário