sábado, 8 de julho de 2017

A Gira na Umbanda


A Gira na Umbanda


   A gira é o principal ritual na Umbanda, e recebe este nome devido ao “giro cósmico”. A gira consiste no agrupamento de espíritos de uma determinada falange que usam o meio da incorporação no médium para se manifestarem. 

   Antes de se iniciar uma gira normalmente costuma-se fazer uma prece, defumar o ambiente, e realizar saudação das linhas para que assim comecem os trabalhos. 

   São cantados pontos para incorporação/desincorporação do médium, ponto este relacionado à falange que irá trabalhar naquele momento.

   Durante o toque do atabaque e as músicas que são cantadas, bater palmas é de grande importância, pois fazendo a junção do toque, da música e das palmas gera uma energia que estimula, vibra e modifica o ambiente, ampliando os efeitos da gira.

Existe gira de trabalho, e gira de treinamento.

   A gira de trabalho que é a gira aberta ao público, prestando consultas, assistências e até mesmo realizando curas. 

   A gira de treinamento é direcionada aos membros do terreiro, sendo, portanto, fechada ao público, e tem a finalidade de estudo e desenvolvimento dos médiuns.

  Inicialmente a gira começa com os pretos velhos, passando para caboclos, ciganos, boiadeiros, malandros, marinheiros, após a linha da esquerda com as pombas giras e exus.

   Muitos acreditam que o espírito entra no corpo do médium durante a incorporação, mas na verdade ocorre uma aproximação, o espírito se aproxima e encobre o médium com sua energia, conectando a ele e assumindo seu corpo através de ligações em seus chakras. Assim, quanto mais próximo o espirito do médium, mais forte é a incorporação.

Axé!

Bruno de Oxossi e Luiza de Oxum


2 comentários: