quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Lápis-Lazúli

Lápis-Lazúli

Essa pedra foi considerada uma das pedras mais caras no passado, utilizada por diversos povos. Tem grande representatividade quando falamos de purificação e elevação espiritual. Seu nome significa “céu” ou “azul”.
O Lápis-Lazúli possui grande força espiritual, sendo responsável por acelerar a iluminação pessoal e despertar capacidades psíquicas, facilitar o contato com nossos guardiões espirituais e bloquear os ataques espirituais. Aumenta nosso poder espiritual, acelerando o despertar da visão espiritual, melhorando o sono e elevando nossa força espiritual.
Ela tem uma grande capacidade energética no sentindo de ativar a Glândula Pineal, despertando nossa capacidade psíquica e ativando nossa intuição superior. Além de harmonizar a mente e alma, promovendo equilíbrio emocional e ajudando a entrar em contato com nosso espírito.


A pedra Lápis-Lazúli é uma grande aliada para alivio das dores, especialmente dores de cabeça, também combate a depressão e trabalha na melhora do sistema nervoso e respiratório. É utilizada na cura de problemas de garganta, laringe, tireoide, vertigem e pressão baixa. Fortalece o sistema imunológico e melhora o sono.
O Lapis-Lazúli não é exatamente um mineral, mas sim uma rocha metamórfica composta por diversos minerais e seu principal componente é a Lazurita.


Ela está ligada ao 6º Chákra – o frontal – relacionado à inteligência e ao poder psíquico, localizado na testa e estimulado pela cor azul índigo. Além da Lapis-Lazúli, as pedras sodalita, safira azul, turmalina azul e azurita agem neste Chákra e favorecem o desenvolvimento e a ampliação da nossa visão da vida, dá clareza de ideias e dá concentração.
Na Umbanda, a energia do Lápis-Lazúli é utilizada pelo Orixá Odé, energia que precedeu Oxóssi no Panteão, e trabalha na abertura mental e conexão espiritual.


Luíza de Oxum

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Água Marinha

Água Marinha

A Água Marinha deriva do mineral Berilo e tem como base o ferro que, em contato com a luz, gera a coloração azul-esverdeada. É pedra do elemento água, levando ao contato com o subconsciente o domínio do espírito e de nossas emoções mais profundas. Sua energia é refrescante como um banho em uma cachoeira fria. 
Por possuir uma tonalidade de azul do mar e do céus, essa pedra possui efeito calmante, o que reduz o estresse, tranquiliza a mente e eleva a espiritualidade. Nos proporciona bem estar, clareza de pensamentos, boa disposição espiritual, além de ser usada como forma de proteção espiritual.


A Água Marinha é símbolo de vitalidade, espiritualidade, juventude e felicidade.  Sua energia, além de reduzir o estresse e acalmar a mente, também purifica as energias ao redor, desperta estados elevados de consciência dando uma sensação de paz interior.
Também utilizada para combater forças das trevas, sendo instrumento facilitador de comunicação com seres da luz, favorecendo a meditação e bloqueando pensamentos negativos de outras pessoas.
Tem efeito calmante, utilizada para cura de traumas e medos antigos, melhora em casos de depressão, equilíbrio da tireoide e aumento de energia. Controla os hormônios, melhora a visão e fortalece o sistema imunológico.


Essa pedra atua no 5º Chákra, o Chákra Laríngeo - localizado na altura da garganta, e é estimulado pela cor azul celeste. Também são utilizadas para o equilíbrio desse chákra as pedras: topázio azul, turquesa, calcita azul, quartzo azul e angelita.
Na umbanda, essa pedra se relaciona com a Orixá Yemanjá, pois sua atuação é muito intensa, trazendo calma, paz interior, aproximando as entidades protetoras e limpando o emocional, o mental e o físico de energias nocivas. Mas ressaltamos que a nobre pedra de Yemanjá é a safira.


Bruno de Oxóssi

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Quartzo Verde

Quartzo Verde

Quartzo é considerado o mineral mais abundante existente na Terra. Sua forma mais conhecida são as de cristais de quartzo, semelhantes a pedaços de vidros quebrados. As formações dos quartzos fazem parte de um processo geológico que pode levar milhares de anos. O quartzo é considerado um dos minerais comuns mais resistentes, com um alto grau de dureza, ficando atrás apenas de minerais raros como o Diamante, Córindon e o Topázio.

Sua composição é também de Dióxido de Silício, portanto de ação REJUVENESCEDORA, é um grande remineralizante e adstringente que ajuda a evitar inclusive estrias, celulite e flacidez. É bom para ajudar a curar unhas, pele, rugas, queda de cabelo, zumbido, varizes e regularizar o colesterol.


O quartzo verde, também chamado de Aventurina, é considerada a pedra da sorte, da coragem e do otimismo. É um cristal para ser utilizado no chákra cardíaco (Cardíaco representado pela cor verde), pois esse chákra fica mais frágil quando não há o controle emocional, sendo  o mais afetado pelas energias negativas. Isso atinge diretamente todo nosso organismo, nos deixando propensos a desenvolver problemas cardíacos ou depressivos. Colocado sobre a altura do coração, acalma o coração, alivia o stress, traz equilíbrio para o organismo, devolve o ritmo cardíaco, proporciona paz mental e espiritual.

O quartzo verde pode ser utilizado também no Plexo Solar (o chákra mais importante localizado acima do umbigo, responsável por captar as energias das pessoas ao seu redor.

Na umbanda, sabemos a importância dos elementos da natureza para trazer a energia de um Orixá até nós e as entidades que dominam este conhecimento podem trazer uma infinidade de informações tanto no aspecto da cura como na atuação mágica. Um dos elementos que podemos utilizar para atrairmos determinadas energias ou padrões vibratórios específicos de cada Orixá são os cristais. Utilizamos o quartzo verde e também esmeralda para o Orixá Oxossi.


Assim como as plantas, o poder dos cristais está diante de nós e não pode ser negado,desde as culturas antigas do mundo, eram usados para curar e equilibrar o ser humano.
As pedras são grandes condensadores de energias, irradiando energias positivas e absorvendo energias negativas, de acordo com suas prioridades energéticas.

Assim, o quartzo verde, como a esmeralda e todas as outras pedras e cristais de tonalização verde, são utilizados em tratamento de cura física.


O uso religioso das pedras advém de um passado remoto e são grandes fontes de axé para os terreiros e seus possuidores.
A Umbanda nos fornece diversos elementos magísticos e é nosso dever conhecê-los e utilizá-los em nosso benefício e em benefício de nossos semelhantes.

"Umbanda tem fundamento, é preciso preparar”


Bianca de Oxóssi

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Quartzo Rosa

Quartzo Rosa

O quartzo rosa é a pedra do amor e da paz, que possibilita a cura intensa e purificação do corpo emocional através do chákra cardíaco. Ele repele as energias negativas e potencializa as vibrações do amor, promove harmonia e paz nos relaciomentos estabelecidos e ao ambiente familiar. É capaz de resolver problemas emocionais e de criar um forte campo de acesso ao amor incondicional. 


A energia e o significado do quartzo rosa:  

Esse é um cristal muito importante para o coração e que ensina a verdadeira essência do amor, possibilitando o entendimento de como  amar de forma mais plena possível. Ele purifica intensamente, inspira a cura emocional,fortalece o amor próprio, acalma a mente, elimina preocupações e promove a verdadeira paz interior.

Para que serve o quartzo rosa na Umbanda?

Encontrado em grande escala no Brasil, USA e Japão, o quartzo rosa é um elemento ligado à Oxum, que rege o trono do amor junto a Oxumarê. Sendo naturalmente de Oxum, trata-se de uma pedra com forte poder de atratividade pessoal, magnetismo pessoal e autoestima. Atrai boas energias, atrai o amor,  promove a calma, a empatia e a  tolerância.


O quartzo rosa trabalha a esfera emocional, o coração, e, portanto, é comumente utilizado por pombogira,  ciganos e ciganas que atuam com aberturas de caminho neste campo vibracional. Guias que utilizam esse elemento podem usar sua magia em banhos, meditação, amuleto, limpeza e como  talismã.


Márcia de Oxóssi

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Citrino

Citrino
O citrino, que também pode ser chamado de quartzo citrino, é um mineral com impurezas férricas. Sua composição química é Si02. Tem coloração amarela, laranja e em alguns casos, vermelha. Quando tratada termicamente, apresenta coloração mais rosada.
É uma pedra preciosa de valor comercial baixo, por isso  é bastante utilizada na joalheria, para diminuir o preço da joia, substitui pedras preciosas amarelas e mais caras como, por exemplo, a Safira.



Popularmente conhecido como o cristal da prosperidade, atrai prosperidade, abundância e tem energia vitalizadora. Em especial, nesse último caso, o citrino é utilizado em todos os seres vivos estimulando a vitalidade e a regeneração celular, aumentando a disposição física. Tem o poder de revigorar e desintoxicar o organismo.
Tem energia curativa e positiva, além de neutralizar a energia negativa. Por ter energia intensa, é capaz de se autorrecarregar e carregar outros cristais.
Melhora a capacidade de concentração. Bastante utilizada por estudantes para aumentar a capacidade de concentração e de absorção do conhecimento.


Como se trata de um cristal energizador, quando utilizado no chakra plexo solar, tem o poder de tratamento e cura de doenças do sistema digestório, fígado e transmite força, poder e alegria de viver.
Seu nome é de origem grega e significa “O Poder Que Vem do Sol”. Tem o poder que vem do sol, do dia e do amanhecer. É uma pedra solar, classificada como quente.
Na Umbanda, o citrino traz estabilidade e desenvolve o centro de energia em quem é usada. Vibra na energia do Orixá Iansã. Está na concretização de trabalhos, negócios e emprego. Descomplica e esclarece confusões mentais quando utilizado como pingente no pescoço na altura do peito.


Adriele de Iansã

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Calcita

 Calcita

Cristais são poderosas ferramentas para o equilíbrio dos nossos chácras. Um dos cristais utilizados para equilibrar o chácra básico é a calcita vermelha, que é uma pedra energizante.

Aumenta a energia, eleva as emoções, estimula a força de vontade, libera bloqueios energéticos e estimula energias estagnada. Alivia o medo, proporcionando entendimento de sua causa, traz maior aceitação da vida e estimula o lado sentimental.


Excepcional para tratar problemas nos membros inferiores e fazer a limpeza no sistema circulatório. Ela é um dos minerais mais conhecidos encontrada em todos os continentes, em numerosas jazidas. Deve permanecer distante dos produtos de limpeza: ela se dissolve no ácido. A calcita vermelha também é muito usada para recuperação de dependências como, por exemplo, vício com álcool ou drogas.

As pedras vermelhas, assim como a calcita vermelha, são atribuídas aos seguintes Orixás: Iansã, juntamente com marrom. Ogum e Xangô, com branca. Oxóssi, verde e o vermelho aparece como listras junto com a branca e Exu, com preto. 


O único orixá que trabalha somente com a cor vermelha é Ogum e como não se sabe ao certo na irradiação de qual orixá a calcita vermelha trabalha, atribui-se a Ogum.



 Ana Clara de Iracema

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Granada

Granada



Hoje iremos dar início a nossa sequência de textos no blog sobre as pedras e suas energias. 

Começaremos com a pedra granada, trataremos de suas forças e energias. 

A granada é de cor vermelho vivo, mas também pode ser encontrada em outras variações como laranja, marrom, verde e preto. É uma pedra considerada quente. É composta por silicato de alumínio, ferro, cálcio, magnésio e oxigênio. 

As pedras, assim como as plantas, possuem energias. Essas energias variam dependendo de sua cor e também vão determinar a ligação energética com cada chákra através disso. 

Desde a antiguidade, as pessoas têm visto as pedras como belas e poderosas. São muito utilizadas em rituais, como amuletos ou ligadas à religião. No Reiki (Sistema natural de harmonização e energização que propicia equilíbrio entre corpo, mente e espírito) as pedras também são utilizadas para o alinhamento de nossos chákras com a ligação energética das pedras. 

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Cristais

Cristais



“A terapia dos cristais, muito em voga nos dias de hoje, é uma prática milenar por possuírem poderes de cura e muitas culturas antigas acreditavam nisto como sendo algo normal, um fato natural da vida.

Atualmente, sabemos que todas as coisas no universo são formas de energia com a sua própria vibração – incluindo os cristais. Nikola Tesla declarou este conceito como a chave para a compreensão do universo e provou como certas formas de energia podem alterar a ressonância vibracional de outras formas de energia.” Disponível em: <<http://despertarcoletivo.com/o-uso-das-pedras-e-cristais-por-civilizacoes-antigas/>>

É nisso que consiste a base da terapia dos cristais, o cristal irradia energia e o corpo a absorve.

As pedras, em suas propriedades energéticas, dividem-se em dois grupos, quentes e frias, nos quais as pedras quentes correspondem à energia do sol e, por esse fato, é na energia solar que ela é recarregada. Essas pedras se relacionam com os 3 chácras inferiores (básico, sacro e plexo solar).

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Conceitos básicos da composição da Terra, Rochas e Minerais

Conceitos básicos da composição da Terra, Rochas e Minerais

Caros leitores do nosso querido Blog, assim como fizemos com as ervas, onde tivemos uma diversidade de flores, árvores e ervas, agora iniciaremos uma nova seção de estudos onde abordaremos os preceitos espirituais das pedras, as energias que carregam, do que elas são capazes e como utilizá-las. 

Antes mesmo de iniciarmos estes conceitos mais profundos, trazemos aqui alguns conceitos básicos da composição físico-química do planeta Terra, bem como a gênese das rochas e diferenças entre Rochas e Minerais.

- Composição Físico-Química da Terra:  

Primeiramente, temos que compreender do que a Terra é feita, pois cada elemento químico possui propriedades físicas específicas, como, por exemplo, o Ferro (Fe) tem a capacidade de ser magnetizado (gerar e manter campo magnético) facilmente. 

Pois bem, de todos os elementos químicos (aproximadamente 118 elementos), a composição principal da Terra são de elementos considerados leves, sendo eles: Oxigênio (O), Silício (Si), Magnésio (Mg), Enxofre (S), Níquel (Ni), Cálcio (Ca), Alumínio (Al).  

Tendo em vista essa composição, podemos agora falar da estrutura física da Terra. Os elementos mais densos (Fe, Ni) são encontrados em abundância no núcleo da Terra, onde está quase 85% de todo o Ferro e Níquel presente no nosso planeta, as temperaturas no núcleo são muito altas, margeando os 4000ºC a 6000ºC, no entanto esse está em estado sólido. O Manto terrestre já possui temperaturas mais baixas, atingindo, no máximo, 2000ºC, está em um estado pastoso (entre sólido e líquido) e possui composição variada, pois é uma área de conexão entre o Núcleo e a Crosta terrestre. Por fim, a crosta é esta fina camada da Terra composta por elementos de baixa densidade que  compreende apenas 1% da massa da Terra, espessura que varia de 5km a 7km e temperaturas máximas de 100ºC. 

Falar da composição da Terra e da Crosta é necessário, pois é a partir daí que entenderemos o porquê dos minerais presentes no nosso planeta, como a crosta possui em abundância Oxigênio e Silício, os minerais mais abundantes (que estruturaram todos os demais grupos de minerais) serão aqueles com esta composição química, chamada de Silicatos.


- O que é um Mineral?

A definição de Mineral está ainda em discussão. De modo geral, um mineral é um composto químico natural, sólido, com arranjo cristalino (tipo e forma da ligação química entre os elementos) definido, de origem inorgânica (sem contribuição biológica).

A partir dessa definição, podemos estabelecer algumas discussões. O petróleo, por exemplo, é um composto químico de origem natural, no entanto não se encontra em estado sólido, o que faz ele não ser caracterizado como um mineral. Outro exemplo é a água, também composto químico natural, inorgânico, no entanto não está no estado sólido.  
      
De todo modo, os minerais são subdivididos em grandes classes minerais, essa subdivisão dependerá das suas características físicas, sendo elas: cor, brilho, traço, clivagem (maneira pela qual o mineral se quebra, seguindo planos relacionados com a estrutura molecular interna), fratura, dureza, densidade, tenacidade (resistência à quebra), magnetismo, peso específico e sistema cristalino (maneira pela qual os elementos se ligam, dando origem à forma do mesmo). Essas caraterísticas originaram grupos específicos de minerais, onde eles terão características semelhantes. Esses grupos são: Silicatos, Carbonatos, Sulfatos, Halóides, Óxidos, Sulfetos, Fosfatos e os Elementos Nativos. De qualquer forma, independente da composição e grupo, um conjunto de minerais originaram uma rocha.


- O que é uma Rocha?

Rocha é um agregado sólido de minerais, que ocorre naturalmente na crosta terrestre. Popularmente, chamamos as rochas de pedras, no entanto esse nome é meramente comercial, não há uma diferença físico-química. Apenas pode se considerar uma rocha quando esta é mapeável, possuir representatividade em escala cartográfica e ocorrer repetidamente no espaço/tempo. Ou seja, o fenômeno que gerou aquela rocha seja suficientemente importante na história geológica da Terra.

A classificação das rochas se dá por meio de sua composição química, textura, estrutura, no entanto a forma mais comum de classificar as rochas são de acordo com sua origem. Desta forma, classificamos as rochas em três grandes grupos, sendo eles; rochas ígneas (ou magmáticas), sedimentares e metamórficas. 

As rochas ígneas (ou magmáticas) são aquelas oriundas da solidificação e consolidação do magma (lava) que provém do mato da Terra. Quando este magma extrapola e entra em contato com o Oxigênio da atmosfera, chamamos essas rochas de rochas ígneas extrusivas (ou vulcânicas). Caso o magma fique alojado na crosta, chamamos de rochas ígneas intrusivas (ou plutônicas).  


Nosso planeta está sujeito a constantes alterações externas (chuva, vento, gelo, etc.), essas alterações decompõem as rochas e originam as rochas sedimentares. Essas rochas são formadas a partir de grãos de outras rochas, podendo ter contribuição química (chamamos de rochas sedimentares químicas) ou contribuição biológica (denominamos rochas sedimentares biogênicas).


Quando as rochas sofrem alterações internas do nosso planeta (aumento de pressão,  temperatura, etc.) temos alterações físico-químicas nas rochas, no entanto não as degradamos, apenas mudamos sua composição. Quando isso acontece, denominados as rochas de rochas metamórficas.


Uma rocha que se origina como ígnea não será ígnea para sempre. Ela pode (e deve) entrar no ciclo das rochas, onde uma rocha sedimentar pode virar rocha metamórfica, ou uma metamórfica pode virar uma ígnea. Sendo um ciclo, as rochas sempre originarão outras rochas e, implicitamente, originarão outros minerais.





Victor de Oxumarê

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Sabugueiro

Sabugueiro

Sambucus nigra, conhecida como sabugueiro ou sabugueirinho é uma planta originalmente encontrada na África e Europa, mas que se adaptou bem ao Brasil, sendo encontrada em quintais e jardins nas regiões de clima frio ou temperado.

Considerada arbusto ou pequena árvore devido ao seu porte que atinge no máximo 14 metros de altura cujas flores brancas se apresentam como se fossem um pequeno buquê de aroma bastante agradável, daí o porquê de ser cultivada em jardins.


Mas o que torna essa planta tão popular? Além de ser bela e não ocupar muito espaço, o sabugueiro é fonte de potássio, carboidratos, fibras, vitaminas A, B6, C, cálcio, magnésio e ferro. Possui, ainda, inúmeras propriedades medicinais como antitérmica, anticatarral, aumenta a produção de urina, fortalece e acelera o sistema imunológico da pessoa fazendo com que o próprio organismo combata as doenças e é mais indicado como imunogênico, antigripal e afecções deste tipo. 


O chá das folhas é largamente usado para tratar gripes, resfriados, tosse, sarampo e caxumba, purifica o sangue, limpa os rins; importante observar que o chá do sabugueiro provoca sudorese em excesso, devendo o uso das suas folhas e flores ser feito com certa cautela, pois seu consumo exagerado pode ser tóxico (cianeto) para o organismo (não indicado para crianças e gestantes e lactantes).


 Do sabugueiro utilizam-se as flores brancas,  a madeira e as folhas. (vide foto). Não pesquisamos todos os tipos de sabugueiro, pois o gênero Sambucus nigra possui inúmeras espécies.

A culinária usa flores de sabugueiro na preparação de diversos pratos, inclusive flores fritas. 


Impossível enumerar aqui, em um único texto, todas as propriedades do sabugueiro. Recomenda-se ao leitor que se deixe seduzir por essa planta e assim pesquise seus inúmeros benefícios.

Passemos agora às propriedades magísticas do sabugueiro:
Em culturas antigas, o sabugueiro era relacionado ao sagrado feminino. Dizia-se que dentro de cada árvore de sabugueiro morava uma curandeira que havia sido queimada como bruxa. Por isso o sabugueiro é chamado de árvore das bruxas (preciso de uma árvore dessas).


Na Umbanda, o sabugueiro é associado a Obaluaê e a Oxóssi. Essa planta é energética para o corpo e espírito, sua flor limpa ambientes e a aura da pessoa, além de estimular a criatividade.

Podem-se utilizar as folhas e flores em amacis e tanto os frutos como as flores podem ser usados em oferendas e firmezas de Obaluaê.

No Templo Sagrado da Mãe Natureza, encontramos tudo de que necessitamos para a cura de todos os males físicos, mentais, espirituais além da nutrição do corpo e dos meios de ascender à consciência mais elevada.



Hélida de Nanã