quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Benjoim

Benjoim

Styrax benzoin, conhecida como Benjoeiro é uma árvore nativa da Sumatra, muito apreciada nas Américas e Europa e também no Oriente, ou seja: todos os povos apreciam os benefícios farmacológicos, energéticos e, também, a fragrância dessa planta, para a produção de incenso devido ao seu odor ter fama de afastar más influências.


O Benjoeiro atinge até 20 metros de altura e se adaptou bem ao Brasil. A parte do Benzoeiro utilizada na fabricação de incenso é a sua resina a que se dá o nome Benjoim, obtida através de cortes no seu tronco.  

Além do perfume agradável, o Benjoim também possui propriedades medicinais antisséptica e  expectorante, também é indicado no tratamento de gases do intestino, facilita a digestão, alivia irritação e feridas, trata, ainda, inflamação de garganta e brônquios, problemas da pele e, ainda, por  seu odor é utilizado na produção de perfumes. Possui, ainda, ação fungicida e bactericida.


Do Benjoeiro é utilizado o óleo extraído do tronco do qual são feitos  também tintura, unguentos e inalação de seus vapores.

Após colhida a resina (benjoim), essa se apresenta sob forma de fragmentos arredondados ou ovóides, irregulares, de cor creme esbranquiçada. Se parecem à primeira vista com pedras, são duras e quebradiças. 


Na Umbanda, utiliza-se o Benjoim nas defumações, por essa resina ter a capacidade de dissipar energias negativas dos ambientes. Favorece mais energia mental e a vontade das pessoas sujeitas à defumação com essa poderosa resina. Também atrai alegria e prosperidade, razão pela qual é cantada em praticamente todos os rituais de defumação da Umbanda.

Os rituais de defumação são essenciais na Umbanda, para tal, leia-se texto que esclarece sobre esse assunto publicado em nosso Blog com o título Defumação no dia 21 de junho de 2017.

Que nos lembremos de agradecer ao Pai Olorum por nos cercar de tantos recursos a fim de nos proteger, limpar e energizar, lembrando, ainda, de agradecer às plantas que sempre nos oferecem seus tesouros seja nos alimentando, curando nossas doenças, limpando nossas energias ou mesmo embelezando nossa vida.

"... alecrim, Benjoim e alfazema, vamos defumar filhos de fé..."



Hélida de Nanã

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Quebra-pedra

Quebra- pedra


Também chamado popularmente de arrebenta pedras, pimpinela branca, saxífraga, arranca-pedras, quebra-panela, conami ou fura-parede. É uma planta de origem tropical, com propriedades diuréticas, analgésicas, relaxante muscular e anti-infecciosa. Seu uso na medicina popular é referido de longa data como remédio para os rins, a fim de eliminar pedras(cálculos renais) e urinar mais. 

É conhecido como quebra pedras por ter o efeito de promover o relaxamento dos ureteres que, aliado a uma ação analgésica, facilita a descida dos cálculos, geralmente sem dor nem sangramentos.

Aumenta também a excreção de ácido úrico. Esses resultados justificam seu uso popular para esse tipo de tratamento e também no reumatismo e outras afecções, caracterizadas por altas taxas de ácido úrico. 


Essa erva apresenta uma extrema capacidade de adaptação, podendo suportar locais muito adversos. Na maioria das vezes com baixo nível de umidade e nutrientes. É comum se alastrarem nas rachaduras e frestas dos muros e calçadas. 

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Lírio

Lírio

Lírio é o nome dado às flores do gênero Lilium L., são flores que originalmente ocupavam regiões do Hemisfério Norte, como Europa, Ásia e América do Norte. Nessas regiões, as temperaturas variam significativamente entre o inverno e o verão, fazendo com que os lírios desenvolvessem uma capacidade de resistência à mudança climática.

Levando isso em consideração,  essas flores possuem uma capacidade de renascimento gigantesco, isso se dá pois elas são dotadas de uma espécie de bulbo (popularmente chamado de batata) onde a planta guarda todas as informações genéticas e nutrientes necessários para o período de seca, quando vem o período de alta umidade  (verão)  os bulbos se desenvolvem, soltam suas folhas, e os lírios florescem.


Essas plantas podem atingir  de 1,20 a 2 metros de altura. Mais da metade das espécimes são encontradas na China e no Japão e diversas espécies de lírios recebem o nome de Açucena, além de outros nomes como: Lírio-da-chuva, Lírio-asiático, Lírio-trombeta, Lírio-vistoso, Lírio-do-amazonas, Estrela Dalva, Estrela de Belém ou Estrela da Anunciação, dentre outros nomes. 


São uma das flores mais vendidas do mundo, cultivadas em terrenos férteis e ricos. Na China, ele é cultivado e comercializado há mais de 3 mil anos.
Popularmente, as cores variadas dos lírios trazem um significado intrínseco: Lírios brancos, por exemplo, simbolizam pureza e inocência. Já lírios azuis remetem à beleza e transmitem segurança. Os vermelhos representam a esperança pelo amor. Os lírios amarelos significam a amizade que ambiciona em se tornar romance. Os cor de laranja representam profundo fascínio e atração. Os lírios silvestres remetem ao regresso da felicidade e lírios do bosque representam zelo e amor ardoroso. Ele ainda é utilizado em terapias florais, trabalhando na purificação do ambiente, absorvendo e eliminando elementos tóxicos do local.

Na Umbanda, os lírios são flores de Mamãe Oxum, orixá da beleza, do amor e da riqueza, sendo também chamada de senhora do ouro. Essas belíssimas flores são utilizadas em diversos momentos em concomitância ao orixá. No Batismo dos seus filhos, os lírios estarão presentes no banho de sua coroa. Para mulheres que estão para se casar, o banho de limpeza espiritual utilizando lírios é comum. Em alguns terreiros, esse banho é realizado um dia antes do matrimônio, demonstrando pureza, virgindade, limpeza e inocência. 


O lírio é também a flor do amor. Quando o amor é real, sincero, recíproco, o lírio simboliza a glória do amor; e por ser Oxum uma orixá sedutora mas de ar jovial, o lírio é a principal flor que devemos apresentar a todos os trabalhos e banhos a seus filhos, ou quando buscamos esse sentimento em nossas vidas.

“Eu vi mamãe Oxum na cachoeira… Sentada na beira do rio… Colhendo lírio lirulê… Colhendo lírio lirulá… Colhendo lírio pra enfeitar o seu gongá…”


Victor de Oxumarê

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Erva Mate

Erva mate

Os guaranis da região nordeste da Argentina parecem ter sido os descobridores do uso da erva-mate. No século 16, os guaranis passaram esse conhecimento aos colonizadores espanhóis, que o disseminaram por todo o Vice-Reino do Rio da Prata. A erva chegou a ser proibida no sul do Brasil durante o século XVI, sendo considerada "erva do diabo" pelos padres jesuítas das reduções do Guayrá.
A partir do século XVII, no entanto, os jesuítas passaram a incentivar o seu uso pelos índios com o objetivo de afastá-los das bebidas alcoólicas.


Em viagem ao sul do Brasil, o viajante e médico alemão Roberto Avé-Lallemant relatou, em meados de 1858: " o mate é  a saudação da chegada, o símbolo da hospitalidade, o sinal da reconciliação. Tudo o que em nossa civilização se compreende como amor, amizade, estima e sacrifício, tudo o que é elevado e bom impulso da alma humana, do coração, tudo está entretecido e entrelaçado com o ato de preparar o mate, servi-lo e tomá-lo em comum."

No século XIX, o Paraguai se isolou dos outros países, proibindo a exportação de erva-mate para fora do país. Isso fez a Argentina e o Uruguai substituírem a erva-mate importada paraguaia pela brasileira, desenvolvendo, desta forma, o cultivo e o beneficiamento da planta em Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul.

A erva-mate (Ilex paraguariensis), também chamada mate ou congonha, é uma árvore da família das aquifoliáceas, originária da região subtropical da América do Sul. É consumida como chá mate (quente ou gelado), chimarrão ou tereré no Brasil, no Paraguai, na Argentina, no Uruguai, na Bolívia e no Chile. A árvore pode atingir doze metros de altura, tem caule cinza, folhas ovais e fruto pequeno verde ou vermelho-arroxeado. A plântula é muito sensível ao sol, tanto que, mesmo no plantio moderno, a técnica exige sombreamento até que a planta atinja alguma maturidade.


Estudos e análises sobre a erva-mate têm revelado uma composição que identifica diversas propriedades benéficas ao ser humano, pois estão contidos nas folhas da erva-mate alcaloides (cafeína, teofilina, teobromina), ácidos fólicos e cafeico (taninos), vitaminas (A, B1, B2, C, e E), sais minerais (alumínio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio, manganês e potássio), proteínas (aminoácidos essenciais), glicídeos (frutose, glucose, sacarose), lipídios (óleos essenciais e substâncias ceráceas), além de celulose, dextrina, sacarina e gomas.

O consumo da erva-mate está relacionado ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental, atuando beneficamente sobre os nervos e músculos, combatendo a fadiga, proporcionando a sensação de saciedade, sem provocar efeitos colaterais como insônia e irritabilidade. A erva também atua sobre a circulação, acelerando o ritmo cardíaco e harmonizando o funcionamento bulbo medular. Age sobre o tubo digestivo, facilitando a digestão sendo diurética e laxativa. É considerada ainda um ótimo remédio para a pele e reguladora das funções cardíacas e respiratórias, além de exercer importante papel na regeneração celular.


O chá mate não tem um cheiro muito forte, e tem propriedades excelentes para limpar o campo espiritual. A identificação do chá mate com suas propriedades reconhecidas são usadas há muito tempo em banhos para espantar maus espíritos, entidades malignas, espíritos de mortos, além de quebrar feitiçaria de magia negra.


As ervas fazem parte da vida de qualquer umbandista, sejam elas usadas em banhos, defumação, etc. É indiscutível a nessecidade delas nos cultos aos orixás e o dono de todas as ervas e seus segredos é o orixá Ossain, porém cada orixá possui suas ervas, erva-mate pertence ao orixá Nanã.



Bianca de Oxóssi

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Levante

Levante


Seu nome científico é mentha virids da família das mentas e também é popularmente chamado de alevante ou hortelã silvestre.

Trata-se de uma erva bastante conhecida e utilizada na medicina popular.

O levante é uma planta de cultivo muito fácil, suas folhas verdes e brilhantes se propagam muito facilmente e é de fácil acesso para ser encontrada.

Suas propriedades medicinais e o mentol presente em sua composição fazem do levante uma erva poderosa para o tratamento de problemas respiratórios, digestivos e nervosos. Por conta disso, é amplamente utilizada para o tratamento de gripes e resfriados e com muito sucesso também para o tratamento auxiliar da bronquite. E não é somente isso, o levante também ajuda a proporcionar alívio de problemas como cólicas, diarreias e até mesmo flatulência.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Sucupira

Sucupira

É uma árvore com folhas pinadas, flores com coloração rosa clara e às vezes até mesmo brancas, encontradas na época de seca. Suas raízes podem apresentar um engrossamento chamado de “batata de sucupira’’, onde armazena nutrientes e água no período de seca. Seus frutos têm formato oval, apresentado nas laterais uma margem fibrosa e, ao centro, onde armazena a semente, um óleo amargo.


A madeira da Sucupira é usada para fazer pilares de pontes, postes, dormentes, assoalhos, carrocerias, carvão e lenha. Seu fruto pode ser guardado por vários anos sem perder suas propriedades medicinais. O fruto da Sucupira é muito usado por pessoas que sofrem com reumatismo, artrite e artrose, suas sementes são utilizadas como óleo, chá e cápsulas.

A semente de sucupira é conhecida como “semente milagrosa’’, pois há séculos esse grão vem curando pessoas, sendo muito utilizado pelos índios. O óleo, além de aromático e ser usado no tratamento de reumatismo, artrose e artrite, também é utilizado no tratamento de úlceras, gastrite, aftas, amidalites, asma, dermatose, dores, espasmódicas, diabetes, sífilis, hemorragias, vermes intestinais, ácido úrico, ronquidão, câncer de próstata, inflamação de útero e ovários.


As ervas fazem parte da vida de todo Umbandista, pois são utilizadas em banhos, defumações e sacudimentos (limpeza espiritual, um descarregamento muito forte e ao mesmo tempo uma reorganização energética), além de serem usadas nos cultos aos Orixás. Porém cada Orixá possui suas próprias ervas. A Sucupira, por sua vez, é de Xangô, utilizada contra irritações de pele, inflamações e febres.




Ana Clara de Iracema

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Camomila

Camomila

 
Dando continuidade ao nosso estudo sobre as plantas, o texto de hoje abordará sobre a camomila, trazendo suas propriedades, benefícios, indicações e outras curiosidades sobre essa erva tão especial.

Seu nome científico é Matricaria chamomilla, sendo uma planta da família Asteraceae.

O seu aroma intenso e doce faz com que reconhecemos essa planta de longe. Além disso, outra característica marcante que ela carrega são suas pequenas flores brancas que lembram as margaridas.

A maioria dos brasileiros se vale do chá de camomila manipulando-o com as flores secas da planta ou com a utilização de sachês comprados em mercados com o intuito de se acalmar e reduzir a ansiedade. Porém, essa erva traz consigo inúmeras propriedades que proporcionam incontáveis benefícios, conforme veremos a seguir. 

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Barbatimão

Barbatimão


É uma árvore que chega a atingir 4 a 6 metros de altura sendo nativa dos cerrados brasileiros. É muito difundida nas regiões Norte, Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste. Conhecida também como Yba Timo, expressão indígena, que significa "Àrvore que Aperta", devido à ação adstringente que possui.
O caule e os seus ramos são bastante tortos, com poucas folhas, e é recoberta por cascas de aspecto rugoso. O seu nome popular é Barbatimão e o científico é Stryphnodendron  barbadetiman.

Parte usada: a casca. 
Propriedades Terapêuticas: adstringentes, tratamento de gengivas, hemostática, depurativa, antisséptica, antidiarreica, tônica, antiasmática, antiescorbútica.
Indicações: Terapêuticas, úlceras, leucorreia, catarro uretrais e vaginais, blenorragia, diarreia e hemorragia.

As cascas do Barbatimão têm grande poder adstringente, reduzidas a pó são usadas no tratamento de úlceras e infecções. É uma planta muito usada na indústria de curtume. A casca do Barbatimão produz matéria tintural vermelha, sendo também muito usada na indústria em tempos passados. 
Conforme pesquisa, o Barbatimão é associado ao  angico, aroeira e mulungu. Muito usado para fazer garrafadas medicinais.

Na umbanda, é usado para banhos e defumação, na força do orixá Oxumarê e Xangô, com energia diluidora, renovadora e equilibradora.


Márcia de Oxóssi

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Orapronobis


Orapronobis


"Pereskia aculeata" mais conhecida como ora-pro-nobis, do latim “rogai por nós”, é uma cactácea, um cacto trepadeira com folhas. Tem espinhos e é muito usada em cercas-vivas, se desenvolvendo bem tanto na sombra como no sol.

Originária do continente americano, encontram-se variedades nativas dessa hortaliça perene, rústica e resistente à seca da Flórida, nos Estados Unidos, à região sudeste do Brasil.

Segundo tradições populares, o nome teria sido criado por pessoas que colhiam a planta no quintal de um padre, enquanto ele rezava em latim: Ora pro nobis.

O nome da planta já revela muito sobre sua importante atuação a favor da humanidade, Orai por Nós. Essa é uma planta que contém um alto valor proteico, mais ou menos 25% de toda sua estrutura é formada de proteínas, isto é, se pegar a planta e dividir em 4, uma parte será puramente proteína. Assim sendo, ela é indicada a quem deseja manter ou ganhar massa muscular seja a fins medicinais (ganho de peso) ou puramente estéticos (criar músculos).

A planta também conta com propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes e regenerativas. Ao consumi-la através de chás, por exemplo, você também poderá utilizá-la para tratar dermatites, feridas, cistite, queimação, etc.

Além de toda proteína, você também encontra no Ora Pro Nobis:
- fósforo
- ferro
- fibras
- vitamina C
- vitaminas A
- vitaminas B.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Amora

Amora


Amora é o nome dado para todo fruto do gênero Rubus ou Morus, árvores caducifólias, conhecidas como amoreiras. Classificamos as amoras como brancas, vermelhas e pretas. São nativas da Ásia, mas por se tratar de um fruto tropical, é facilmente encontrada na África e na América.

O fruto da amoreira é conhecido por seu sabor doce. Na culinária é utilizado em geleias, compotas e vinhos. Na medicina natural, utilizam-se todas as partes da amoreira, incluindo o fruto, folha, raiz e flor.

A folha da amoreira tem alto nível de antioxidantes, por este motivo, o banho do chá da folha de amoreira é bastante utilizado na medicina natural, como revigorante da pele.

O consumo da amora, destaca-se pelo benefício à prevenção ao câncer, além de conter nutrientes, minerais, antioxidantes e baixo teor calórico.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Alfazema

Alfazema

Lavandula angunstifoliae”  uma espécie de planta da família “lamiaceae” e do gênero lavândula é conhecida popularmente como lavanda ou alfazema. 

Trata-se de uma planta com várias propriedades medicinais, calmantes, relaxantes, antiespasmódicas, analgésicas e antidepressivas. 


Pode ser usada na forma de chá através de suas folhas secas ou sachês e também na forma de óleo essencial.

Pode ser cultivada em casa em vasos, mas também pode ser comprada em farmácias de manipulações em alguns mercados e feiras.

Nos tratamentos é indicada para: 
Problemas do sistema nervoso, como ansiedade, angústia ou agitação. Má digestão, irritação no estômago, problemas de pele ou alergias à picada de insetos, cansaço e exaustão física. Problemas de sono, excesso de gases, má circulação, hipertensão arterial, enxaquecas e espasmos e asma brônquica. 

Contraindicações: 
Pacientes com úlcera gástrica e durante a gravidez.

Efeitos colaterais: 
Sonolência, devido a suas propriedades calmantes e relaxantes. 

Como se vê, trata-se de mais uma planta abençoada entre tantas outras a nossa disposição.
Acura pra todos os males e todas as enfermidades estão muito próximas de nós ou mesmo dentro de nós. Tudo se encontra na natureza ou em nosso coração.


É muito importante não fazermos uso de nenhuma planta sem acompanhamento de um especialista.

Excelente dia de paz e saúde a todos!


Carlos de Oxóssi

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Pitanga

Pitanga 

A pitanga, fruto da pitangueira, seu nome científico é Eugenia uniflora, é planta nativa da mata Atlântica brasileira. 
Vamos falar do seu uso medicinal, aromático e algumas curiosidades, pitanga é saborosa, cheirosa e curativa. Folhas, frutos, casca, tudo pode ser usado em seu benefício.

Essa fruta você não vai encontrar em mercados, pois, quando madura, a pitanga tem pouca durabilidade, é recomendável colher no pé. A fruta da pitanga podemos comer crua ou até mesmo fazer geleias, doces e de qualquer maneira ela é saborosa.


As folhas da pitangueira dão um ótimo chá usado para nos ajudar quando estamos alterados, nervosos, agitados, ansiosos ou com a pressão arterial alterada. Para fazermos esse chá, não é necessário ferver as folhas, somente a água, de 3 a 7 folhas para uma xícara de água fervente. As folhas de pitangueira também tratam diarreias, febre e reumatismo.
As folhas de pitangueira também são usadas em banhos, conhecidos como banho de ervas ou banho de cheiro, esse banho é bom para a pele e cabelo pois sua ação adstringente equilibra a oleosidade da pele e do couro cabeludo.


Na Umbanda, a pitangueira é vista como uma erva de limpeza e prosperidade. A pitanga movimenta tudo o que toca em sua vibração. É atribuída aos Orixás Oxum, Ogum, Iansã e Oxóssi, em diferentes contextos. Na cultura Jeje-Nagô é associada a Oxum, pois suas folhas perfumadas são usadas para forrar os barracões em dia de festa dessa mamãe Orixá por atrair prosperidade. É uma planta associada a Pai Ogum talvez por aparecer em vários preparos de descarrego ou purificadores. 
A Pitanga movimenta tudo como dito mais acima, tira do lugar comum, ajuda a tomada de decisões pois movimenta o pensamento, colocando cada coisa no seu lugar. Ajuda, desde que ativada com esse propósito, a encontrar o melhor caminho, saída ou solução para um problema. Em primeiro momento, poderíamos dizer que a pitanga é uma erva de Ogum, mas visando seu campo de ação chegamos a vibração de mamãe Iansã. Mas não quer dizer que seja a única vibração presente, o fator expansor está nela também, trazendo direcionamento para o crescimento e expansão de dentro pra fora, nesse caso encontramos Oxóssi.


Sua energia é movimentadora, usando suas folhas em nossos trabalhos podemos trazer a capacidade de prosperidade que irá movimentar as energias e direcioná-las da melhor forma. Em uma defumação, ela movimentará as energias pesadas estacionadas. Em um banho, ajudará para retirar o que está estagnado, cansaço, depressão espiritual e tristeza. 

"A pitanga movimenta cada coisa para seu devido lugar! Não poderíamos deixar de atribuir essa erva principalmente a nossa querida mamãe Iansã"
"...quem movimenta é Iansã, Pelos caminhos do Pai Ogum..." 

Salve a Umbanda!



Karol de Oxalá

*jeje-nagô: é o termo utilizado para designar a fusão das culturas jejes e nagôs (também referida por iorubá) principalmente nas religiões afro-brasileiras

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Urucu

Urucu


Urucu, ou urucum, é o fruto do urucuzeiro ou urucueiro (Bixa orellana), arvoreta da família das bixáceas, nativa na América tropical, que chega a atingir altura de até seis metros. Apresenta grandes folhas de cor verde-claro e flores rosadas. Seus frutos são cápsulas armadas por espinhos maleáveis que se tornam vermelhas quando ficam maduras. Então se abrem e revelam pequenas sementes dispostas em série, de trinta a cinquenta por fruto. 

Conhecemos o urucum graças aos índios, que usavam sua semente para pintar o corpo com a tinta vermelha. A erva também é muito usada em batons e, por conta disso, também é conhecida por árvore batom. Além disso, o urucum também é usado em indústrias de cosméticos e serve como corante natural para alimentos. No entanto, seus benefícios vão muito além, inclusive por conta de suas inúmeras propriedades benéficas para a saúde.

Alguns dos benefícios do urucum que mais chamam a atenção incluem a sua capacidade de promover uma boa digestão, fortalecer ossos, diminuir febres, ajudar na cura de algumas doenças, ajudar na saúde dos olhos, eliminar dores de cabeça, reduzir náuseas, entre outros.

Muitos estudos ainda são realizados com a erva. A cada dia que passa, mais benefícios do urucum são descobertos para o ser humano.

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Orixás regentes 2018

Orixás regentes 2018


E o ano de 2017 chegou ao fim. Ano regido por Pai Oxóssi, ano em que aprendemos, nos refizemos, conquistamos, passamos por momentos felizes e tristes, lutas e dificuldades.

2017 deixará, com toda certeza, muitas lembranças e ensinamentos. E então nos despedimos deste ano e nos preparamos para uma nova caminhada, um novo ciclo.

Todo início vem carregado de possibilidades e é o momento de nos elevarmos, de trabalhar a nossa fé, o momento de reorganizarmos nosso interior, de refletir sobre o que fica e o que deixamos ir.

Recomeçar é isso, é fazer uma limpeza interior, é tentar nos conectar ainda mais com Deus, evoluir espiritualmente e buscar foco e força para alcançar os objetivos para o próximo ano.

2018 vem regido por Pai Xangô e a partir de junho terá a companhia de Mãe Iansã. Em suma, este ano será um ano de busca e cobrança por justiça. No entanto, essa justiça será alcançada se os povos se unirem, se recuperarem sua fé, e acreditarem que a justiça pode ser alcançada.

Com a influência da Mãe Iansã, 2018 passará muito rápido, assim como foi em 2017, um ano que passou tão rápido quanto a flecha lançada por Pai Oxóssi. Isso porque seus ventos e raios darão a impressão do tempo passar mais rápido.

Fica o conselho de não deixar as coisas se acumularem, não deixar para amanhã o que pode ser feito hoje, e principalmente, não deixar de buscar pelos seus objetivos.

Podemos esperar por um ano bastante quente, não apenas em questões ambientais, mas também no que diz respeito aos ânimos pessoais, sendo um ano de batalhas.

A natureza buscará se defender ante as manifestações de Mãe Natureza, o que resultará em tragédias naturais.

Um conselho para esse próximo ano é nos mantermos firmes em nossas convicções e tentar a cada dia elevar a nossa fé, não deixarmos de fazer o bem, pois Pai Xangô é justiceiro e tem o símbolo do machado de dois gumes, o que devemos entender é que a justiça acontecerá para os dois lados, onde os que praticam o bem e caridade receberão por suas boas ações, e os que não forem corretos serão cobrados na mesma proporção.

Esse ano será um ano de nos avaliarmos, será um ano claro, correto e realista, onde poderemos corrigir nossos erros e mudarmos pontos negativos em nossas vidas.

Como será um ano embasado na justiça e nas batalhas, não será um ano fácil. Assim devemos sempre ORAR E VIGIAR. Todos seremos julgados e receberemos a condenação por nossos atos. Será um ano em que as verdades aparecerão e as máscaras irão cair e algumas pessoas usarão da anarquia para se proteger.

Como dissemos, não será um ano tranquilo e, por essa razão, a depressão será o mal do ano e muitos optarão por “dar fim à própria vida”, o que sabemos ser uma grande ilusão, pois a vida não termina aqui e tentar desviar dos problemas dessa maneira é indiretamente ampliar o sofrimento.

Desta forma, nossa fé e ligação com Deus devem estar mais fortes que nunca.

Mas como tudo feito em nosso plano superior é perfeito, mãe Iansã, dominadora de Eguns, irá reger junto com Pai Xangô. Assim, quando sentir a tristeza chegar perto, quando pensamentos negativos começarem a aparecer em suas mentes, não deixem de chamar por ela.

Mãe Iansã, mãe guerreira, dedicada aos seus filhos, quer que lutemos nossas batalhas, não nos quer desanimados.

Então é o ano de lutar, buscar nossos objetivos, não deixar injustiças acontecerem sem fazer nada para impedir.

Acho que é uma boa hora para fazermos uma lista de objetivos e batalhar por cada um deles nesse 2018, pois teremos Pai Xangô e Mãe Iansã lutando do nosso lado.

Que Deus abençoe nossas vidas e nos capacite para essa nova caminhada. Que comecemos o ano com muita fé. Que Pai Xangô e Mãe Iansã nos possibilitem caminhos de luz e que todas as Entidades de Luz nos protejam.
Que venha 2018, que venha um ano de fé.
Bruno de Oxóssi