sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Depressão e Umbanda

Depressão e Umbanda



Um dos males mais democráticos da atualidade talvez seja a depressão, pois este mal não escolhe credo, gênero, idade ou cultura para fazer suas vítimas; porém, alguns fatores devem ser levados em conta quando se fala de Depressão.

A depressão pode ter várias origens: obsessão espiritual, reminiscências de vidas passadas, pode ser pós trauma, pressão social, estresse social, pode ser devido à carência de algum mineral no organismo; ou seja, a depressão pode ter várias origens e também pode ter vários graus de intensidade.

Conhecendo a origem da depressão, fica mais fácil tratar. Mas uma coisa é clara: seja qual for a origem , as dores que esta causa são inúmeras e retiram do Ser o prazer de viver e a perda do prazer de viver talvez seja o maior sofrimento de que uma pessoa possa ser vítima.

“A depressão é a noite escura da alma.”

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O que é Depressão?

O que é Depressão?


Muito se fala sobre a depressão nos dias atuais: “a doença do século XXI”; “o mal da sociedade”; “a nova peste negra”... No entanto, a depressão é uma doença que acompanha a humanidade desde sempre.

A depressão é um transtorno mental que pode atingir pessoas de qualquer idade, gênero e classe social. Pode ser caracterizado por tristeza, perda de interesse, ausência de prazer, oscilações entre sentimentos de culpa e baixa autoestima, distúrbios do sono ou do apetite, além de uma sensação de cansaço constante e falta de concentração. 

A durabilidade dos sentimentos depressivos podem persistir por dias (chegando a ultrapassar semanas e meses), o que leva a diferentes níveis depressivos, desde os mais sutis e facilmente curáveis, até aqueles mais longos e complicados de serem tratados, os quais podem acarretar o suicídio.

A diagnose deste sentimento de tristeza profunda não tem uma explicação simples, o cérebro passa por um desequilíbrio bioquímico, como a diminuição na oferta de neurotransmissores, como a serotonina, ligada à sensação de bem-estar. A depressão pode vir acompanhada de outros sintomas como diminuição da atenção, perda de peso e dificuldade em dormir, por exemplo.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Depressão

Setembro Amarelo – mês da prevenção do Suicídio.

Depressão 


Esse mês de setembro estamos vendo uma campanha linda sobre a prevenção do suicídio, e uma das principais causas que levam ao suicídio é a depressão. Um processo silencioso e destrutivo.

Depressão é o estado de abatimento psíquico e físico, que altera os sentimentos e comportamento do indivíduo. 

É uma doença que pode estar relacionada a diversos fatores da vida, como o luto, decepções, traumas, pós-parto, depressão crônica, entre outros.

A depressão como doença, pode atingir a qualquer um de nós, e deve ser tratada por um especialista. 

Ressaltamos que a assistência espiritual não dispensa o acompanhamento médico, pois trata-se de um complemento.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Incorporação na Umbanda

Incorporação na Umbanda


Muitas pessoas discutem a respeito da incorporação na Umbanda e o principal motivo dessa discussão é a respeito do grau de inconsciência do médium na incorporação. Nesse texto iremos esclarecer algumas dessas dúvidas em relação a esse fenômeno.

Primeiramente é importante se saber o que é incorporação. Esta é um acoplamento mental entre a entidade e o médium, havendo uma conexão áurica de ambos, onde os chacras do espírito se conectam aos do médium.
 
Encontra-se classificação de incorporação semiconsciente e inconsciente, não se utilizando o termo incorporação consciente porque nesse caso há uma irradiação do espírito e não propriamente uma incorporação. Mas, o primordial aqui não são os nomes, mas sim se entender como funciona esse mecanismo de incorporação.

Na incorporação semiconsciente, o médium, durante a incorporação, interagindo sua consciência à consciência do espírito, entra em transe detendo o controle de algumas faculdades como, por exemplo, da visão, como se estivesse em um sonho. Da mesma forma, também não possui o controle de outras faculdades, podendo se citar a prática de gestos de forma involuntária pelo médium. Este sabe conscientemente que naquele momento os seus gestos estão sendo realizados pelo guia espiritual.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A influência das Religiões Afro-brasileiras na Música Popular Brasileira

A influência das Religiões Afro-brasileiras na Música Popular Brasileira



A religiões brasileiras de matriz africana estão intimamente ligadas a cultura brasileira em geral, isso pode ser observado claramente na indústria musical do país. Músicos e bandas renomados como O Rappa, Martinho da Villa, Jorge Benjor, Cidade Negra, Daniela Mercury, Marisa Monte, Mart´nália, Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Toquinho e Vinicius, Zeca Pagodinho, Clara Nunes, Zeca Baleiro, Rita Ribeiro, Monobloco, Margarete Menezes, Marilene de Castro, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Ney Matogrosso, Bezerra da Silva, Dudu Nobre, Racionais, Alcione, Djavan, Gal Costa, Criolo, Sabotagem e diversos outros já fizeram ou pelo menos já apresentaram musicas com referencias aos sagrados Orixás, as divindades do Candomblé, as entidades umbandistas ou a preceitos dessas religiões.

Abaixo selecionamos algumas das boas musicas desse gênero para que nossos leitores possam conhecer, existem várias de extremo bom gosto, lindas e muito animadas. Esperamos que agradem aos apreciadores da boa música Brasileira. Agora, chega de papo, aumentem o volume e som na caixa! 

Bate palma e abre a boca macumbeiro!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A prática do perdão

A prática do perdão 



A cada amanhecer, um novo dia, novas oportunidades e novas experiências. A caminhada nessa Terra nos presenteia com muitos aprendizados através de diversas situações. Situações que nos levam ao exercício da paciência, do amor, do perdão e de tantas outras virtudes que devemos cultivar dentro de nós. 

Remetendo-nos ao perdão, não são raras as vezes em que nos deparamos com circunstâncias que exigem de nós a prática dessa virtude. Quem nunca sofreu uma ofensa ou passou por algo que lhe magoou profundamente?

Porém, remoer mágoas, condenar e julgar o outro não amenizará nem tão pouco te livrará de suas dores, mas o perdão sim. Quando nosso mestre Jesus disse que se deve perdoar ao irmão não sete vezes, mas setenta vezes sete vezes, Ele nos mostra que o perdão é ilimitado e que devemos perdoar todas as ofensas a fim de que retiremos as chagas do rancor de nosso coração. 

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

O processo de mudança para a evolução espiritual

O processo de mudança para a evolução espiritual


Primeiramente vamos pensar nessa simples e singela palavra que é mudança, no dicionário Aurélio temos: Ato de mudar; Troca; Alteração, Modificação, Transformação (física ou moral); Variação. Aparentemente parece um processo simples e rápido, no entanto sabemos que na prática as mudanças não ocorrem assim, elas podem ser dolorosas e longas. 

Usemos como exemplo o processo de metamorfose da lagarta para borboleta, em um certo ponto da vida da lagarta ela passa por diversas pequenas mudanças; a pele da lagarta muda, ela adquire a capacidade de criar a seda (para ser utilizada na construção do casulo), e depois de algum tempo a lagarta inicia a formação do casulo. Quando a lagarta está dentro do casulo ocorre a mudança mais drástica e brusca de sua vida, ela perde todas as suas características morfológicas e adquire novas caracteristicas completamente diferentes. E é exatamente quando a lagarta vira borboleta,e ela se torna bela aos olhos do observados. Mas o que esse simples processo nos afeta?

A resposta também é simples; nós filhos de terra somos muito apegados às coisas terrenas sem importância espiritual, e estas não nos auxiliam no processo de evolução espiritual, precisamos nos apegar àquelas coisas que nos fazem crescer espiritualmente. No entanto o processo de evolução espiritual não ocorre de uma vez, ele é gradacional e contínuo.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Gratidão

Gratidão




Graças ao nosso grande Criador, tenho a oportunidade em toda semana de ter contato com os guias espirituais de grande luz que, com muito amor, me auxiliam com suas palavras e conselhos. São muitas conversas e mensagens que eles trazem a nós e hoje, no presente texto, gostaria de falar sobre a gratidão, sendo esse assunto sempre muito abordado por todas as entidades. Este é um momento para que paremos um pouco e reflitamos se realmente nós cultivamos esse sentimento dentro de nós para que assim possamos evoluir a cada dia em nossa jornada espiritual.

Por muitas vezes temos uma noção um pouco errônea do que seja a gratidão. Temos uma tendência a agradecer (isso quando agradecemos) somente por aquilo que seja bom para nós, ou que nós achamos que seja bom para nós. Somos gratos pelo carro, pelo dinheiro, pelo celular, pela casa, etc. E claro, devemos sim ser gratos por todos os bens materiais que temos, mas não devemos restringir essa gratidão tão somente a isso.

Devemos ser gratos por poder abrir os olhos mais um dia sabendo que Deus, mais uma vez, nos concedeu a oportunidade de sermos melhores para que alcancemos nossa evolução. Devemos ser gratos pela beleza divina refletida no amanhecer, no anoitecer, nas flores, no sorriso sincero do próximo, na chuva que cai do céu.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Caridade

Caridade


Muito se fala em caridade, mas na verdade, pouco se faz. Outro dia em uma gira fechada tivemos um grande ensinamento com o Caboclo Sete Flechas, e hoje trago essa reflexão para vocês. 

Não estamos falando apenas da caridade umbandista, mas no geral, no dia a dia de cada um. O que realmente é caridade? Para nós é comum encher o peito (talvez por vaidade, talvez por realmente acreditar) pra dizer o que fizemos ao próximo, como se isso fosse realmente a nossa salvação e nós tivéssemos garantindo a nossa evolução espiritual. Mas a caridade não é tão simples assim. Para realmente ser considerada uma caridade, devemos abrir mão de algo que nos fará falta, ou algo que não queremos doar. 

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

DEUS na Umbanda

DEUS na Umbanda



Assim como em diversas outras religiões, a Umbanda acredita em um Deus Supremo, trata-se de uma religião monoteísta. Acreditamos que Dele provém todas as formas de vida, sendo Este inclusive o criador dos Orixás, criador de todas as coisas.

Cada nação o chama por um nome, Zambi, Olorum, Olodumaré, no entanto, a essência é a mesma, o amor e devoção pelo nosso Deus é o mesmo. Ele se encontra acima dos Orixás. É o Senhor de tudo e de todos. Onisciente, onipresente e onipotente. 

Na religião umbandista Ele não possui uma representação, nem um templo específico, pois consideramos que seu templo está em todos os lugares. Não é necessário um lugar próprio, uma imagem pré-determinada, pois, para nós, Deus está em tudo, Deus é tudo.

A Umbanda Brasileira aderiu em especial as denominações Zambi, Olorum e Tupã - este último pelas influências indígenas - para designar o Deus Supremo. Desta forma, dependendo da linha das entidades elas podem usar qualquer uma dessas expressões, pois, não é o nome que vai alterar a imagem ou a essência de Deus. Ele é único, independente da forma que o chamamos.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Cangaceiros

Cangaceiros


Os Cangaceiros na Umbanda são um grupo de trabalho que trazem o arquétipo do povo cangaceiro do nordeste do Brasil. Para entendermos melhor qual arquétipo é esse temos que compreender quem eram os cangaceiros nordestinos. Toda história tem dois lados e o lado de quem a conta que é guardado, por isso sempre devemos avaliar muito bem a visão dos autores que escrevem.

A palavra cangaço vem de canga, que é a peça de madeira usada para prender junta de bois a um carro de boi ou arado, também já foi usada antes dos grupos que conhecemos como cangaceiros para se referir a bandos de camponeses pobres que habitavam os desertos do nordeste, vestindo roupas de couro e chapéus, carregando carabinas, revólveres, espingardas e facas longas estreitas conhecidos como peixeiras por volta de 1800.

Existiram vários grupos de Cangaceiros no Brasil, o cangaço surgiu devido a revolta do povo pelo governo (após 1900), devido a miséria, desleixo e o controle na mão de grandes latifúndios. Com isso grupos armados se organizaram, saqueavam cidades e atacavam os ricos e distribuíam para os mais pobres. Mas como tudo também tem seu lado negativo, começaram a surgir bandos de cangaço que trabalhavam também para os latifundiários, conhecidos por Coronéis, saqueando todos apenas pelo dinheiro, cometendo crimes e atrocidades.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Malandros e Malandras

Malandros e Malandras



Hoje é dia de falar deles, os Malandros e Malandras da Umbanda, acho importantíssimo falar sobre eles, uma vez que muitos podem ter conceitos que não os fazem jus. 

Vamos começar com qual a real representação do que seria a Malandragem, sendo que neste caso é saber se desviar através da boa malandragem de influências negativas, mas usando para isso a alegria e a positividade.

Os Malandros e Malandras são espíritos desencarnados que hoje usam todos seu conhecimento para nos ajudar de forma positiva a continuar nossa jornada rumo a evolução. É conhecido como advogado dos injustiçados, protetor dos comerciantes e médico dos pobres, e traz consigo o ideal de que cada um colhe o que planta. A diferença de malandros e malandras é a energia que carregam, sendo malandros energia masculina e as malandras energia feminina.

Malandros podem vim em qualquer linha de trabalho, alguns terreiros trabalham especificamente com giras apenas de malandros, já os que não trabalham eles podem vim em qualquer uma outra, até de Exu, mas não são Exus.

domingo, 3 de setembro de 2017

Ciganos

Ciganos


Os Ciganos são entidades que trabalham para manter o equilíbrio dos quatro elementos básicos (agua, fogo, terra e ar), influenciando todo planeta com a energia do amor e da caridade ao próximo. Encontram-se dispersos pelo mundo, buscando em suas andanças colher de cada cultura todo ensinamento e conhecer os caminhos.

As entidades que trabalham nessas falanges são aquelas que possuem afinidade com o trabalho do povo cigano, podendo ser aqueles que já viveram em alguma vida como cigano ou os espíritos que foram atraídos pela linha. Não se aprisionam a nada, não acumulam riquezas materiais, enxergam a maneira de evolução como algo desprendido. O conhecimento é considerado o ponto principal para se enriquecer espiritualmente.

Os ciganos atuam como guias espirituais na Umbanda, mostrando sempre o caráter fraterno do seu povo, o respeito pela família e a capacidade em dividir com os demais tudo que possui. São pertencentes ao comando da linha de Oxalá, mas podem ser sustentados por Ogum e Iansã, que são orixás do ar e do fogo. Trabalham em busca da evolução espiritual, estimulando à alegria em todos ao seu redor, com suas danças e seus cantos. Praticam magias, através da interpretação de oráculos e vibrações pessoais.

Influenciam no meio físico no campo do bem-estar pessoal e social, da saúde, do equilíbrio físico, mental e espiritual. Se destacando para quem os procuram no auxílio ao progresso financeiro, bem como em causas amorosas, oferecendo várias simpatias espirituais. Poucos sabem que os ciganos além de oferecer grande ajuda em vários aspectos, trabalham com a cura de doenças espirituais.

sábado, 2 de setembro de 2017

Marinheiros

Marinheiros



Dando sequência a esse estudo acerca das linhas de trabalho de Umbanda, o texto de hoje falará sobre os Marinheiros também chamados de “povos da água”, entidades do bem que vêm aos terreiros a fim de praticar a caridade. No decorrer do assunto, tratar-se-á sobre sua forma de atuação, qual o seu orixá regente, seu arquétipo e outras informações importantes.

Por que essa denominação? É necessário se entender primeiramente o arquétipo desses trabalhadores. Como se sabe, marujo ou marinheiro, em um sentido mais estrito, são aquelas pessoas que trabalham no mar se utilizando dele por meio de embarcações. Quando estão nas águas, enfrentam tempestades, dificuldades, conhecem novos lugares, cruzam fronteiras, e, ao mesmo tempo, que enfrentam a fúria do mar, se deslumbram com a mansidão do mesmo. 

E assim o são os espíritos que trabalham nessa falange. Trazem aos indivíduos a vontade de cruzar novos caminhos, de conhecer o novo e ensinam a enfrentar as tempestades da vida nos dando força, por mais que às vezes sejam gigantes, assim como as ondas do mar. Auxiliam a enfrentar as tormentas e mostram que após a turbulência vem a calmaria. Logo, é o arquétipo daquele que sobrevive sobre o mar.

O trabalho dos Marinheiros consiste em descarregar o ambiente, os consulentes, o médium, limpando todo o campo vibracional e emocional. Também dão passes de cura e trabalham muito no desenvolvimento de médiuns. Seu trabalho é muito utilizado, ainda, em descarregos, principalmente quando se exige uma descarga energética mais intensa. Quando vêm ao terreiro, chegam cambaleando devido ao seu magnetismo aquático, e assim liberam energias em formas onduladas e os seus balanços são uma forma de trabalho, visto que liberam ondas de magnetismo que desagregam energias negativas. 

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Baianos

Baianos



A linha dos Baianos é formada por espíritos alegres, brincalhões e descontraídos, seu arquétipo recebem grande ligação com o pai Oxalá.

Nas giras eles sempre se apresentam com fortes traços regionais do nordeste brasileiro, sua fala é mansa com um sotaque bem arrastado. São ótimos ouvintes e também tem a capacidade de dar ótimos conselhos, são carinhosos e passam segurança ao consulente que tem fé. Trabalhos com a corrente dos Baianos trazem muita paz, passam perseverança para conseguirmos lidar com o dia a dia na nossa jornada terrena.

Alguns Baianos: Simão do Bonfim, Januário, Zé do Ouro, Juvêncio, Juvenal, Mané Baiano, Zé Baiano, Zé da Estrada, Zé da Estrada e dos Trilhos, Zé Tenório, Zé do Côco, Zé Pereira, Zeca do Côco, Zé Pretinho, Zézinho Baiano, Baiano dos Sete Cocos

Alguns nomes simbólicos de Baianas: Maria do Balaio, Rosa Baiana, Baiana da Estrada, Maria Fulô, Januária, Maria (ou Baiana) do Rosário, Maria dos Anjos, Baiana dos Sete Nós, Baiana dos Cocos, Maria Mulata, Chica Baiana, Maria das Candeias, Maria dos Remédios. 

Eles trabalham contra espíritos invasores, obsessões e kiumbas(espíritos "perdidos"), eles absorvem toda essa carga negativa, outra forma de trabalhado dessas entidades é a doutrinação de espíritos que se negam ser ajudado.