segunda-feira, 31 de julho de 2017

Amarração na Umbanda existe?


Amarração na Umbanda existe?



     Amarração existe? SIM.

     Existe “trabalho de amarração” na Umbanda? NÃO.

    Amarração é magia negra através da qual a pessoa interessada busca forçar a vontade de outra obrigando-a a ficar com alguém a quem não ama.
    Mesmo que para o trabalho a ser realizado seja usado o nome de seres sagrados ou de entidades honradas na Umbanda como os Exús e as Pombogiras, a verdade é que essas entidade jamais se prestariam a tal papel, pois todas as entidades que servem na Umbanda, agem segundo a Lei de Amor e Caridade, respeitam o livre arbítrio nunca se afastando do cumprimento da Lei sagrada.

   Muitos núcleos se intitulam Umbandistas e no entanto se prestam a este triste papel, inclusive usando nomes reverenciados na verdadeira Umbanda, como por exemplo, Pombogira, Maria Padilha, Rosa Caveira e outras honradas trabalhadoras da seara umbandista, também os valorosos guardiões, como seu Tranca Ruas, Sete Encruzilhadas, que ,por serem nomes respeitados são usados indiscriminadamente por “eguns” que se prestam a este triste e desrespeitoso papel de fazer as malditas amarrações.

    Digo malditas amarrações, porque não há pessoa que tendo feito esse “trabalho” ou dele tenha sido vítima que não tenha tido sua vida desgraçada por essa magia negra. A magia de amarração realmente amarram as pessoas, forçam seu poder de decisão, e mesmo não amando a pessoa a quem estão amarrados, não conseguem delas se afastar, com o tempo, a pessoa amarrada passa a odiar aquela a quem está preso e não é incomum vermos casos como esses desencadearem muita violência entre o casal que não está unido pelos laços sagrados do amor.


    Mas pergunta-se: toda pessoa está sujeita à amarração? Não. Geralmente a pessoa que tenha uma conduta afastada da Lei de Amor e Caridade, que descuida da fé, que não mantém relação de confiança com o Criador, nosso Pai Olorum, uma pessoa de conduta moral descuidada é sujeita não só à amarração, mas a toda sorte de envolvimento com energias “escuras”.

domingo, 30 de julho de 2017

Amar o próximo como a ti mesmo

Amar o próximo como a ti mesmo


   Amar é o segredo da felicidade, amar com consciência e equilíbrio, um dos preceitos da doutrina cristã é amar o próximo como a ti mesmo, sendo o segredo o amor em ti. Para quem não leu o texto anterior a este, Amai a Deus sobre todas as coisas, recomendo ler para compreender melhor este texto, tendo o mesmo fundamento.

   Dizer para amar o próximo como a ti mesmo é simples ao falar e talvez até no pensar, mas no executar é algo muito complicado, pois temos duas fases, sendo a primeira do amor próprio que talvez seja umas das coisas mais difíceis de se realizar, estamos sempre reclamando da vida, querendo ser algo que não somos e insatisfeitos com o que temos ou com quem somos, isso demonstra claramente a falta de amor por nós mesmos, então devemos parar e refletir: Será que estou no caminho correto? Ficar insatisfeito irá trazer bons resultados? Reclamar irá resolver? Devemos fazer essas reflexões e começar a compreender melhor como nós funcionamos e por que não ser feliz agora e buscar a melhora e não a felicidade, pois a felicidade não se busca, a felicidade já está com cada um que quer ser feliz, basta olhar para dentro e deixar ela manifestar. Quantos de nós paramos e refletimos sobre nosso dia, o que fizemos de bom, o que nos agradou, o que nos desagradou, o que fizemos de ruim, quem desagradamos, o que trouxe de desarmonia e pensou em criar soluções ou condicionar a mente para aquilo não mais afetar sua felicidade? Quantos de nós ao acordar refletimos e agradecemos pelo que temos e pensamos em maneiras para que nosso dia seja melhor? Viver um dia de cada vez, viver um momento de cada vez, pois o futuro é o que você faz agora e agora será o seu passado.


   A segunda fase é o amor ao próximo. Como se ama ao próximo sem conseguir amar a ti? Não sendo possível a segunda fase sem a realização da primeira, e aí vem outro desafio, como amar de proporção igual outra pessoa? Ás vezes um familiar, um filho, algo assim consiga amar até mais, mas como amar uma pessoa que desconheço? Quando o amor é verdadeiro por ti mesmo, você conseguirá com a prática amar ao próximo como a ti mesmo, que é o amor sem preconceitos, sem julgamentos e sem maldades. E quem é meu próximo? Isso está explicado muito bem na Parábola do Bom Samaritano, pelo nosso mestre Jesus Cristo, onde, com uma história explica muito bem que o próximo é aquele que nos aproximamos, independente do pré-julgamento feito por qualquer um.

   Seja você o responsável por sua vida, ame mais, se importe menos com aquilo que não te acrescente, pois o tempo nos traz mudanças, seja paciente, e compreenda mais o próximo, pois mesmo com divergências de pensamentos todos estão certos, o que muda é o ponto de vista, sendo a verdade uma variável do próprio ser, cada dia novos aprendizados, novos conhecimentos e novas maneiras de olhar o mundo.





"Se não amo o próximo que vejo, como posso amar a Deus, que não vejo?"

Igor ∴ de Oxum

sábado, 29 de julho de 2017

Amai a Deus sobre todas as coisas

Amai a Deus sobre todas as coisas


   Religiões cristãs de todo mundo carregam dentro de seus preceitos o "Amai a Deus sobre todas as coisas" como base e fundamento dos ensinamentos deixados pelo nosso Senhor Jesus Cristo. É sempre muito bonito citar a Bíblia, livros sagrados, porém aplicar em nossas vidas é outra história.

  E como aplicar esse preceito em nossas vidas? Primeiro temos que entender o conceito do Amor, podendo conceituar essa palavra de várias formas, o conceito como palavra é simples, mas o Amor como palavra não nos interessa e sim como sentimento, é algo que apenas aquele que sente consegue transmitir e cada pessoa irá sentir de uma maneira diferente, sendo aquela sensação de alegria, bem estar e felicidade. Essa é a sensação de Amor que devemos ter por Deus.

   E Deus como amar? Como sentir Deus para poder amar? Pois bem, Deus é o criador, é homem, é mulher, é humano, é animal, é vegetal, Deus é tudo, amar a Deus sobre todas as coisas é amar toda sua criação e todo o Universo, mas a maneira mais simples de amar a Deus e mais eficiente é amando a si próprio, somente assim o ser irá conseguir amar qualquer outra coisa. Amar a si próprio é amar a Deus, então amar a si próprio acima de tudo é também amar a Deus acima de tudo, desde que, tenha consciência que Deus está presente em você, sendo parte da criação divina e parte de Deus que se espalha por todo Universo.

   Então ame mais a si, importe menos com o que os outros pensam de você, pois Deus e tudo criado por ele é perfeito, sendo você obra dessa criação, coisas ruins acontecem para aprendizados e mudanças, pois o Universo e seu antagonismo nos ensina o equilíbrio que devemos ter, tendo o Amor como base de nossas vidas.

"Aquele que desejar ver o Deus vivo face a face, não o procure no vazio do firmamento de sua mente, mas no amor humano." Rita de Cássia
Igor ∴ de Oxum

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Bater a cabeça

Bater a cabeça


   Bater a cabeça é um gesto comum na Umbanda, bater a cabeça no chão, bater a cabeça no Congá, saudando aos Orixás, às linhas trabalhadores da direita e da esquerda, prática comum dos rituais umbandistas que tem um fundamento simples de compreender com grande significado simbólico e energético.

   O ato de bater cabeça simboliza respeito e humildade, respeito aos Orixás, às entidades de direita e de esquerda, ao pai ou mãe de santo e aos dirigentes da casa. Para se ter respeito devemos mostrar respeito e humildade, abaixar a cabeça/coroa é um sinal de respeito e representação de fé para qualquer terreiro que se encontra, mesmo não sendo a sua casa de umbanda, pois em todo local Orixá é Orixá e espíritos de luz são espíritos de luz, nunca representando diminuição daquele que bate a cabeça.

   Como fundamento energético, ao abaixar e bater a cabeça, os Orixás, entidades e todas forças do terreiro limpam todo nosso corpo tanto material quanto espiritual, sendo que descarrega, lava e energiza, através da energia que entra pelo Chakra que está virado para o Congá passa por todo corpo e sai pelos pés, assim tornando uma preparação para os trabalhos do terreiro.

   Existem diversas formas quanto à maneira de se fazer e temos os pontos cantados de batimento de cabeça. O importante é ter em mente o significado e saber o que está fazendo, só assim atingirá o objetivo necessário desse ato tão bonito e importante dentro da Umbanda.

"Se você é filho de Santo, se você é filho de Fé, então bata a cabeça e peça a Zambi o que quiser"

Igor de Oxum 


   

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Umbanda e Candomblé

Umbanda e Candomblé


   Uma dúvida muito frequente entre praticantes da Umbanda e do Candomblé e pessoas que não conhecem estas religiões, é qual a diferença delas, o que muda de uma para a outra e como saber qual é qual.

   Então vamos lá, tanto a Umbanda quanto Candomblé são religiões brasileiras, apesar de muitas pessoas acharem que o Candomblé é Africano, equívoco, não existe Candomblé na África. As duas religiões são Afro-brasileiras, porém o Candomblé tem seu culto voltado aos antigos cultos de matriz africana e a Umbanda seu culto voltado às suas misturas do Brasil.

   O Candomblé tem diversos tipos de cultos de acordo com a origem dos povos africanos que o iniciaram, então devemos lembrar que não existe apenas um tipo de Candomblé, existem vários, e um fator interessante que muitas pessoas não sabem é que, nem todo Candomblé cultua os Orixás, o culto aos Orixás é de origem do povo africano Ketu, os Iorubás, e cada tipo de Candomblé é chamado de Nação, então ao perguntar sobre o Candomblé a algum praticante ele irá dizer sou do Candomblé de Nação Ketu, ou de Nação Jeje, ou entre tantas existentes. O Candomblé Nação Angola vem da cultura do povo Banto que não cultuam Orixás e sim divindades com nome de Inkices, já a Nação Jeje tem culto aos Voduns. Com a mistura dos povos através da escravidão no Brasil houve mistura dessas Nações, então temos diversos tipos de Candomblés com mistura de Nações assim mistura dos cultos. O quadro abaixo irá mostrar diferenças dos nomes em uma comparação, mas não deve confundir, pois mesmo os nomes podem ser parecidos das divindades, mas são diferentes em cada nação e cada culto vem suas divindades de maneira diferente.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

A inexistência de uma doutrina única na Umbanda

A inexistência de uma doutrina única na Umbanda


   Para compreender o motivo da inexistência de uma doutrina única em todos terreiros de Umbanda existentes devemos voltar ao passado, na fundação da religião, entender como foi fundada e por que não foi criado essa doutrina.

  Nosso país tem uma grande diversidade de religiões e grande extensão territorial, porém o mesmo estudo do espiritismo kardecista no Sul é feito no Norte do país, a religião Católica em qualquer lugar do mundo segue o mesmo princípio, os Protestantes ou Evangélicos da mesma forma, porém cada grupo de Igreja se baseia em um princípio, já a Umbanda não ocorre dessa forma.

   A Umbanda é uma religião jovem com seus cento e poucos anos, porém de alcance em todo o país e o número de seguidores muito grande, mas esse não é o motivo da inexistência da "doutrina de umbanda". Os cultos Afro-descendentes, Candomblé, vieram de várias nações Africanas, como o Ketu, Angola, Jeje, Nagô, e outras, e muitas dessas nações o culto não era aos espíritos que se manifestavam e sim às divindades conhecidas por Orixás, ao manifestarem esses espíritos, como os Pretos Velhos, Caboclos e Erês, muitos não foram aceitos e chamados de Egum (denominação que se dá ao espírito que não está puro na língua de alguns povos africanos), porém estava acontecendo também a manifestação desses espíritos no espiritismo kardecista e a mentalidade da época de muitas pessoas que seguiam o espiritismo kardecista, e até hoje encontramos alguns com esses pensamentos, é que aqueles espíritos que se manifestavam daquela forma eram espíritos atrasados, sem conhecimento. 

   Daí então pela necessidade do trabalho desses espíritos e como não haviam sido bem aceitos nas outras religiões criou-se a Umbanda, com a manifestação do Caboclo das 7 encruzilhadas através do médium Zélio Fernandino de Morais na Confederação Espírita de Niterói - RJ e com os dizeres:

terça-feira, 25 de julho de 2017

O Giro no Desenvolvimento

O Giro no Desenvolvimento 




    O girar é algo importantíssimo a ser tratado, primeiro por ser um dos principais métodos para incorporação de médiuns em desenvolvimento, e segundo por não ser o único método a ser usado, conforme iremos tratar a seguir.

   Quando o médium está desenvolvendo ele fica ansioso para o momento em que irá conseguir incorporar, sentir a presença da entidade, e essa ansiedade muitas das vezes vem a tirar sua concentração, desta forma o girar tem seu primeiro ponto em trabalhar a mente do médium, fazer com que ele se concentre no giro, em não cair e desligue sua mente para outros pensamentos, facilitando a incorporação.

    Outro ponto do giro é a questão do vórtice, quando o guia coloca o médium para girar em um determinado lugar ele ativa o médium e o espaço em que irá realizar o giro, é como se criasse um campo magnético e conectasse o médium na frequência do vórtice. Neste momento essa energia do ambiente é sugada pelo chakra básico do médium, ativando na sequência todos os demais chakras que começam a sugar a energia do ambiente e do guia que está tentando incorporar, facilitando o acoplamento áurico.

    Além disso, quando o médium gira é criado um eixo magnético que ativa da sua coroa ao seu chakra básico e ao solo sagrado, como uma coluna energética que facilita a chegada da entidade e a incorporação. 


   Um ponto interessante é o sentido que a entidade gira o médium, existe um giro que absorve a energia da entidade que está tentando incorporar, e um giro que irradia, repele a energia do guia que serve para purificar e para que você esteja pronto para incorporar, sendo esses sentidos horários e anti-horários, podendo variar de acordo com a vibração da pessoa que gira.

  No entanto o girar não é o único método para a incorporação e desenvolvimento do médium, existem pessoas que não são preparadas para girar, se sentem mal e acaba dificultando o desenvolvimento, assim o médium deve conversar com o guia chefe do terreiro para que ele utilize outros métodos. 

   O guia não vai te forçar a usar um método que lhe faça se sentir mal, ele vai adaptar um método para cada filho, no entanto ele não tem a liberdade de entrar na sua mente e saber o que você esta sentindo, o médium tem o livre arbítrio, se não conversar com o guia ele irá continuar a usar aquele método.

   Assim é de grande importância ser verdadeiro com os guias, falar como se sente diante do processo de desenvolvimento, pois cada médium é único, cada um tem seu tempo e sua forma de desenvolver.

   Devemos nos lembrar sempre que, o giro não é realizado apenas para incorporar, se você é visitante de um terreiro e a entidade pediu você para girar, esse giro é para limpeza, é um passe magnético, é um das maneiras dos passes na Umbanda.

"Já que o mundo está girando, eu também quero girar..."
Luiza de Oxum

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Estalar de dedos na Umbanda

Estalar de dedos na Umbanda


   É comum o estalar dos dedos pelos nossos queridos Pretos Velhos na Umbanda, porém não são apenas eles que usam desse recurso tão bom e importante. Todas entidades trabalhadoras da Umbanda podem e usam do estalar de dedos, um Caboclo, um Erê, um Exu, todos eles utilizam desse recurso o qual não é apenas um simples estalar de dedos. 

   Para compreender melhor devemos conhecer sobre os Chakras, por trás do mistério do estalar de dedos pelas entidades se encontram eles. Nas mãos temos os reflexos dos principais Chackras, e através destes temos as energias emanadas do estalar de dedos. A imagem abaixo nos mostra como é esse reflexo. 


   Reflexologia, como é chamado o reflexo dos chackras na mão, nos mostra que ao estalar os dedos a entidade utiliza de todos os pontos de energia de sua essência apenas com o estalar, sendo a utilização dessa energia de maneira específica, com estalar em local específico, ou de maneira a criar um campo energético, estalar em forma circular, de cruzes, entre outras, aumentando a fluidez energética e a rotação dos pontos de força do consulente. A técnica do estalar de dedos também pode ser utilizada por encarnados, desde que conheça a técnica de aplicação de passe magnético com utilização do estalar de dedos.

   Temos a diferença dos trabalhos nas mãos, sendo a mão esquerda negativa, dissolve e trabalha com energia negativada e a mão direita positiva, que cura, equilibra e energiza. As duas trabalhando em conjunto energiza, retira e doa, as mãos representam o fluxo energético natural do corpo.

   A entidade pode utilizar o estalar dos dedos no próprio médium, antes do atendimento do consulente, energizando e aumentando a potência de sua energia. Para entendermos melhor como tudo isso acontece é só imaginar um grande clarão no mundo espiritual ao estalar dos dedos, como um acionamento de uma bomba, porém de energia, energia dissipada ou doada de acordo com a necessidade e o tipo de movimento. 

"A Umbanda tem fundamento é preciso preparar"
Igor .'. de Oxum
   

domingo, 23 de julho de 2017

Influência de energias negativas

Influência de energias negativas


   Somos seres formados por energia, emitimos e recebemos energia o tempo todo. O universo é energia e tudo vibra na perfeita harmonia, somos aquilo que pensamos, fazemos e produzimos, tudo que recebemos é fruto de nossa produção, a conhecida frase "você colhe o que planta", sendo ela tão verdadeira e aplicável em tudo na vida. Energias positivas e negativas chegam até nós o tempo inteiro, sendo criadas ou por nós ou por pessoas/espíritos/seres que nos rodeiam.

   Energias positivas trazem alegria, felicidade, calma, sendo o verdadeiro amor despertado dentro de cada um. Porém as energias negativas trazem o oposto da energia positiva, como ódio, raiva, ansiedade, tristeza, entre outros sentimentos ruins. Energias negativas influenciam de forma indevida o tempo inteiro a vida de todos, saber equilibrar essas energias é o ideal e controlar as influências. Constantemente pode-se perceber, principalmente em casa e no trabalho que são os meios que mais afetam o encarnado pela sua importância na vida, a mudança de humor repentina não só sua, mas também daquele que encontra a sua volta, essa mudança muitas vezes pelo fato da influência de energias negativas.

   Temos casos graves de influência de energias negativas vindas de fora, as obsessões, causando grandes transtornos na vida do obsediado. A obsessão é a influência negativa de um espírito ao encarnado ou de um encarnado ao espírito ou até mesmo de encarnado para encarnado. Obsessão é ideia de perseguição, mania, ideia fixa, muitas vezes o obsessor não tem fim de prejudicar sua vítima, e sim de protegê-las, mas como não sabe como fazer acaba prejudicando a pessoa. Exemplo, um pai falecido, querendo proteger os filhos vivos porém sem saber como fazer traz angústia àqueles que estão encarnados, ou os filhos que não desapegam querendo a presença de um pai que já se foi ou levando raiva por coisas passadas àquele já desencarnado, e até mesmo um encarnado com o outro encarnado que fica desejando coisas ruins ao próximo, inveja, "olho gordo", falando coisas ruins constantemente daquela pessoa se torna uma obsessão.

   Alguns casos de influência de energia negativa são mais simples, porém não menos importantes, e ocorrem a todo instante. São casos de pequenas invejas, "olho gordo", falar mal de alguém, isso gera uma energia negativa para a pessoa que se tem a inveja, "olho gordo e se fala mal e para a pessoa que desejou também. Outro fator importante de se lembrar é, não é somente o ato de fazer e sim também o ato de pensar. 

sábado, 22 de julho de 2017

A grandeza da Fé

A grandeza da Fé



  Fé: uma palavra tão pequena e ao mesmo tempo detentora de um significado tão grandioso para nós seres humanos. O que é ter fé?

   Em minha concepção é  saber que algo , muitas vezes impalpável, existe e que, mesmo que vá além do que eu possa compreender,  eu sinto  em meu coração. Fé é confiar no amor não obstante todas as desilusões vivenciadas. É acreditar nas pessoas mesmo com todas as decepções sofridas. É sorrir para o universo e crer na vida vivendo-a e não se deixando ser levada por ela. É acreditar na natureza, nas entidades espirituais, nos orixás, em Deus, e sobretudo, em SI mesmo.

  Que tenhamos sempre uma fé racional, através dos estudos e questionamentos. Que tenhamos o cuidado de não transferir à fé a responsabilidade de concretização de nossos sonhos. Se almejamos alcançar um objetivo e acreditamos que o conseguiremos, significa que temos fé. Contudo a fé não age sozinha, é necessário que existam nossos esforços, experiências e conhecimentos. Ter fé não é apenas ficar inato e esperar que as coisas venham até nós, ter fé é buscar, lutar e correr atrás de nossos propósitos.

  Como seres encarnados e em evolução que somos, é comum nos vermos diante de situações difícieis e causadoras de imensa dor e desânimo. Por vezes percebemos uma grande dificuldade de encontrar a força e a fé de que precisamos sendo mergulhados por um sentimento de total impotência.

  Devemos entender que muitos episódios de nossas vidas ocorrem para que possamos amadurecer, mudar, aprender, sendo, portanto, importantes para nosso crescimento. Que tenhamos nesses momentos coragem e humildade para olharmos para nós mesmos, despindo-nos de todos os orgulhos e voltando nossa atenção para o nosso coração para encontrar as respostas às nossas dúvidas. A paz que tanto almejamos está simplesmente dentro de nós. Somos filhos do Criador, logo, somos o criador em ação. Sempre devemos nos lembrar que a força divina somos nós.

“Quando vemos com os olhos da  fé, aprendemos a enxergar na escuridão.”


Natália de Iemanjá


sexta-feira, 21 de julho de 2017

Karma

Karma


   A ideia sobre karma nos remete a situações que devemos passar para que possamos nos desenvolver espiritualmente. Existe muita controvérsia quanto a este assunto, muitos acreditam que quando fazemos algo de ruim com alguém, pagaremos por isso em uma próxima encarnação. Será que é isso mesmo? Onde o livre arbítrio se encaixa nisso? Porque algumas pessoas têm “vidas mais fáceis” que as outras? 


 Muitas pessoas acreditam que sua vida é um roteiro onde passará por todos os sofrimentos que causou no passado, para que assim se aperfeiçoe e se torne alguém melhor. Não é assim que vejo. Se fosse assim, poderíamos passar pela vida no “piloto automático”, aceitando qualquer situação por mais desconfortável que seja, pois seria nosso destino passar por aquilo. Hoje vejo que essa ideia é usada, muitas vezes, por ser conveniente, com ela as pessoas nunca precisam assumir sua culpa, é só dizer que é seu destino. Acredito que não é saudável que nós espiritualistas enxerguemos o karma assim, pois é uma forma de estimular o conformismo. Soa, muitas vezes também, como uma ameaça, como se o karma fosse o inferno dos espiritualistas, onde dizem “seja bonzinho ou pagará caro depois”. 


   A realidade é que karma existe e tem uma relação íntima com as reencarnações, acreditamos que se reencarnamos é para nos aprimorarmos diante de provas. No entanto, a evolução não se dá somente através do sofrimento. Podemos aprender do modo mais fácil ou do mais difícil, depende de cada um essa escolha, aí que entra o nosso chamado livre arbítrio. É possível aprender a se libertar do orgulho e a amar ao próximo, sem que seja necessário sofrer. Isso pode ser visto imaginando que somos crianças, onde o pai tenta nos ensinar dando o exemplo para que sejamos honestos, não poluamos e que sejamos educados, mas caso não aprendamos dessa maneira seremos castigados, se não pelo pai, através do castigo e sofrimento físico, pela própria vida que pode nos castigar depois de diversas maneiras como multas, brigas, prisão etc. Cada um atrai e aprende com aquilo que tem afinidade.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Umbanda: Amor e Caridade.

Umbanda: Amor e Caridade.


   Tarefa tentada por muitos e cumprida somente por alguns (falar sobre Amor e Caridade), seja na umbanda, seja em qualquer outro segmento religioso... 

  Mas o que credencia a pessoa a falar sobre a energia de criação e sua maior manifestação entre nós, no seio da Sagrada Umbanda?

   Não sou credora dos atributos necessários, no entanto, se não começar a falar sobre minha essência, jamais saberei sobre ela... é isso: Amor é essência divina no Ser, de qualquer Ser: minha, sua, de todo Ser criado no seio do Amor de Olorum.

   Amor é energia de criação, assim, tudo o que provém de Olorum provém, também do Amor.

   Caridade é o movimento que essa energia provoca naquele que está desperto para sua essência sagrada ou está despertando....

   Nas palavras de Pai Benedito, um querido Preto velho: Gentileza é um dever e uma caridade; um dever para quem a pratica e uma caridade para quem a recebe. Estas palavras tão singelas e sábias nos faz pensar que a gentileza é um forma através da qual o Amor se manifesta através e entre nós.

   Muito se ouve e se falar que “Umbanda é Amor e Caridade”, e é. 


   Uma das manifestações religiosas em que mais se pratica o Amor e a Caridade talvez seja a Umbanda, pois nela, encarnados (médiuns, cambones, ogãns e outros trabalhadores), juntamente com desencarnados (guias de todas as linhas), juntos unem seu conhecimento, seu tempo, seus melhores sentimentos em favor daqueles que buscam na Umbanda o alívio para suas dores.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Uso do branco na Umbanda

Uso do branco na Umbanda 


Muitos que vão a um terreiro de Umbanda podem se indagar o porquê de os trabalhadores usarem vestimentas brancas durante a gira e conforme será visto a seguir há fundamento.

Quando houve a fundação da umbanda manifestando-se, através de Zélio Fernandino de Moraes, o Caboclo das Sete encruzilhadas, este trouxe alguns fundamentos basilares da religião dentre os quais o uso da roupa branca. Naquela época, havia muita carência de recursos e, consequentemente, grande desigualdade e preconceito. 

Diante disso, o Caboclo proferiu que se usaria o uniforme branco a fim de que ninguém se esquecesse de que todos são iguais não só dentro do local religioso, mas sim em todos os lugares .

Além disso, a cor transmite neutralidade e sentido de limpeza e possui caráter refletor. Isto é, a cor branca é o somatório de todas as cores e funciona como uma espécie de escudo contra certos choques de energias negativas direcionadas ao médium. É uma cor que induz o psiquismo à paz, à tranquilidade e representa a fé, pois está associada ao Pai Oxalá, Orixá da fé.

Axé!
Natália de Iemanjá

terça-feira, 18 de julho de 2017

A Gargalhada de Exu

A Gargalhada de Exu


   Uma dúvida muito comum entre as pessoas, e até mesmo minha, é se existe alguma especificidade nas gargalhadas dos Exus.

    E a resposta para essa pergunta é SIM! 

   A Gargalha de Exu é considerada um mantra, assim como as bebidas, os charutos, a gargalha do exu é uma ferramenta de trabalho, serve para purificar nossa alma, adentrando nos nossos campos energéticos e assim conseguem remover entidades que vibram para o mal, recolhendo energias negativas. 

  Eu, particularmente tinha ideia de que a gargalhada do Exu era uma forma de chacota/gozação, mas muito pelo contrário, eles têm a gargalhada como uma forma de vibrar alegria, apesar de na maioria das vezes eles lidarem com situações complexas, e muitas das ocasiões tristes, o Exu acima de tudo é feliz. 

   Isso serve como uma lição, pois, nós seres humanos não sabemos equilibrar nossas emoções, não conseguimos nos manter felizes em frente a situações difíceis, não conseguimos sermos felizes em equilíbrio com as Leis Universais.

    Esse é mais um de muitos outros ensinamentos/lições que podemos tirar dessa entidade tão intensa, tão forte, e acima de tudo tão equilibrada e feliz.

- Texto baseado no livro ENSINAMENTOS BÁSICOS DE UMBANDA

Ri Quá, Quá, Quá, Que Linda Risada que Exu Vai dar!

Laroyê Exu, Exu é mojubá.


Bruno de Oxóssi

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Preceito de Umbanda

Preceito de Umbanda


   Se é umbandista todos os dias e não somente em dia de gira. No entanto, no dia, é importante se ter algumas precauções além daquelas que se têm no cotidiano seguindo-se, assim, alguns preceitos. 

   Quando há uma gira em um terreiro de Umbanda, existe uma preparação tanto no plano espiritual como no material. E neste, um dos preparos que se tem é a realização dos preceitos que são algumas orientações que, se seguidas, acarretam uma melhor conexão do ser humano com a espiritualidade. São realizados para que o médium foque em si mesmo e aumente sua vibração a fim de oferecer um campo energético maior facilitando o trabalho das entidades. 

   Em dia de gira, sobretudo, deve o médium manter bons pensamentos e tranquilidade. Se ele ficar atento notará que muitas situações ocorrerão a fim de levá-lo a ter sentimentos ruins. Porém ele deve ser firme e se concentrar em seu equilíbrio emocional.

   Recomenda-se, também, a não ingestão de carne. Conforme dito, em dia de sessão é necessário que o trabalhador do terreiro esteja o mais próximo possível de sua vibração e sabe-se que o animal quando sacrificado, muitas vezes, sofreu intensamente estando,portanto, em vibração diferente.

domingo, 16 de julho de 2017

Porque tantas doenças de fundo psíquico e emocional na atualidade.

Porque tantas doenças de fundo psíquico e emocional na atualidade.


   Um fator que tem chamado muito a atenção principalmente no meio médico, é o grande número de doenças que vem surgindo na atualidade. Na verdade, cremos que aquilo a que a comunidade médica chama de doença e lhe dá nomes como, fobias, depressão, síndrome do pânico, distúrbio bipolar e outros sejam apenas sintomas que refletem a desarmonia do Ser com seu sagrado.

   Doença é estado de desequilíbrio, seja físico, emocional, psíquico ou energético; e o ponto máximo do desequilíbrio é a conduta de manter em si pensamentos e sentimentos que sejam contrários à Lei de Amor.

   Portanto, necessário conhecer e vivenciar o amor como lei a fim de não manifestar sintomas de desequilíbrio (doenças).

   Amor é tudo aquilo que tende ao bem, ao progresso, à promoção de si e do outro como Ser imortal que se é; Amor é tudo aquilo que concorre para o bem próprio e comum; é tudo aquilo que enobrece a alma, que a faz ser vista pelos que a cercam com olhar de admiração, respeito e reverência.

   Se, mesmo assim, o Ser sentir dificuldade em entender o que seja Amor, basta que busque naqueles que inspiram a humanidade a progredir moral, intelectual, filosófica e cientificamente: alguns nomes podem aqui ser citados: Jesus, Hermes Trismegisto, Sidarta Gautama, o (Buda), Nelson Mandela, Benjamim Franklin, Francisco de Assis, Madre Tereza de Calcutá, Ana Neri, Mahatma Gandhi, Sócrates, Leucipo, Chico Xavier, Martin Luther King e tantos outros conhecidos e anônimos que viveram sob a Lei de Amor, ou seja: promoveram a si e inspiraram a muitos a romperem com as algemas do preconceito, do medo, das limitações do meio.....

   Voltando às doenças e à afirmação de que estas são sintomas de desequilíbrio com a Lei de Amor, lembremo-nos do estudo que fizemos sobre os Chakras, onde afirmamos que desequilíbrios emocionais geram desarmonia no campo físico e emocional, desestabilizam o campo energético do Ser e causam uma série de sintomas desconfortáveis.

sábado, 15 de julho de 2017

Orgulho e Julgamento


Orgulho e Julgamento


   Falaremos hoje de duas atitudes negativas e ligadas entre si que são muito comuns na natureza humana. Parece um tema subjetivo e que foge um pouco do universo umbandista, mas veremos que, na verdade, o orgulho e o julgamento, fazem parte do dia a dia de todos. São responsáveis em grande parte pelo sofrimento das pessoas e podem prejudicar muito a atuação não somente da umbanda, mas de qualquer religião.

   Pessoas muito orgulhosas frequentemente são levadas a situações em que se sentem humilhadas ou com vergonha. Na verdade essa humilhação não é causada por outras pessoas e nem por nada externo. Quem se sente envergonhado é porque se acha bom demais para passar por alguma situação que esta vivendo e sabemos pela lei de Deus, que se ela está passando por isso é porque merece, até para seu próprio aprendizado. A vergonha é o fruto podre da árvore do orgulho, como definiu nosso Guardião Exu Arranca Toco. Se você planta orgulho, fatalmente colherá vergonha. Temos que aprender a cada dia que qualquer dom ou estado de glória que passamos só é possível porque Deus nos permitiu. Para ilustrar isso basta pensar em um atleta de renome que a qualquer momento pode sofrer um acidente e forçando-o a aposentar-se ou até a algo mais grave como ficar com sua locomoção limitada.


   O exemplo que foi usado é extremo, mas ilustra bem o ponto que queremos chegar. A lei de Deus age nos proporcionando provas para as nossas fraquezas, essas provas se repetem de variadas formas até que se tire a lição necessária. Pessoas orgulhosas muitas vezes são levadas a depender de outras, como a ficar doente de cama, ou necessitarem de ajuda financeira, com isso vão aprendendo a amolecer o coração e aprendendo que não importa como as pessoas o enxergam, mas sim se está bem consigo mesmo. A natureza de cada um é divina, cada ser é único e foi criado com uma energia diferente, por isso não faz sentido que todos se enquadrem nos modelos da sociedade. Certa vez foi dito que todas as pessoas são gênios, mas que se avaliarmos um peixe por sua capacidade de subir em arvores, o mesmo acreditará que é estupido por toda sua vida. 

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Postura do Umbandista

Postura do Umbandista



  É muito comum as pessoas entrarem em uma gira de umbanda sem a menor concentração, conversando paralelamente às consultas, não cantando os pontos ou pensando em assuntos do dia a dia. Esses maus hábitos devem ser evitados, pois interferem fatalmente nos trabalhos. Ao longo deste texto veremos de que maneira essas práticas podem prejudicar o ritual e qual a importância da concentração, do silêncio e da seriedade, não somente no dia da gira, mas durante toda a semana, principalmente quando se trata de um médium da corrente mediúnica do terreiro. 

   O ambiente do terreiro é um espaço sagrado aonde as pessoas vão atrás de orientações e de cura, mas para que isso ocorra de forma satisfatória é necessário que o ambiente esteja limpo energeticamente e não carregado com energias pesadas. Normalmente as pessoas que precisam de ajuda já estão carregadas negativamente e se o terreiro também estiver isso dificultará demais o trabalho dos guias espirituais e também exigirá muito mais dos médiuns. Nós umbandistas acreditamos muito no poder da mente, ou seja, atraímos e nos ligamos às mesmas energias que vibramos. É devido a isso que é tão importante cada um dos médiuns se autovigiar para conter suas tendências negativas e desenvolver bons hábitos. Se cada um dos médiuns chegar ao templo em estado de tranquilidade e paz, a energia do trabalho como um todo também estará assim. O terreiro é como um rio que abastece uma comunidade, caso esteja limpo desempenhará sua função perfeitamente, mas se estiver sujo poderá até mesmo prejudicar a quem se serve de suas águas. 

   O grande problema é que somos acostumados no mundo profano a vibrar negativamente. As pessoas se perdem com facilidade na correria do dia a dia, se estressam no trabalho, têm maus hábitos alimentares, são levadas a ter inveja por um consumismo que não necessitam, se envergonham de não conseguir ser o dito “cidadão modelo” e têm, muitas vezes, mentes pervertidas sexualmente. Quando olhamos dessa forma parece impossível dominarmos essas más tendências, mas tudo é uma questão de hábito, melhorando-se um pouco a cada dia é possível se reeducar mentalmente. Daí vemos que o preparo deve ser feito durante toda semana e não somente no dia de trabalho, pois caso contrário será impossível controlar os impulsos.


   No dia da gira é muito importante fazer silêncio e ter concentração, não só devido aos ruídos que podem atrapalhar as comunicações, mas também devido ao efeito crescente que uma conversa paralela tem. Se acreditarmos no poder da mente, logicamente caso todas as pessoas estiverem focadas nos propósitos do trabalho, atrairão melhores energias do que se uma parte delas ficarem pensando problemas do trabalho, festas e quaisquer outros assuntos do dia a dia.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Umbanda e Espiritismo

Umbanda e Espiritismo


   Pode-se notar que existe diferenças entre estes dois tipos de doutrinas, mas devemos saber que não existe separação, nem competição entre os espíritos benfeitores responsáveis por toda espiritualização. Sabemos que os mentores espirituais não importam sobre o crescimento de uma religião ou doutrina sobre a outra, estão preocupados com o crescimento espiritual de cada Ser e na expansão do amor divino.

   O problema de nós encarnados é a intolerância e falta de conhecimento, pois além de falarmos sobre o desconhecido fazemos considerações como "combate" sobre a outra religião. Toda religião é exercida de acordo com a maturidade espiritual de cada Ser, mesmo sendo ateu,  onde cada Ser tem seu envolvimento religioso ou fora da religião conforme necessidade de evolução de seu espírito. Conforme a humanidade evolui, o espírito supera barreiras e abandona sectarismo, tornando-se universalista.

   Para aqueles que desrespeitam as crenças alheias, apenas sua doutrina está certa e merece a proteção de Deus, mas isto não é verdade, todos temos a proteção de Deus independente da crença e do nível espiritual e todas as doutrinas estão corretas, pois são caminhos, alguns mais longos outros mais curtos, porém a base é única e é chamada de AMOR, qualquer doutrina que se baseia no AMOR ao próximo se encontra no caminho de Deus ou do que acredita ser sua paz interior. 

   O mediunismo pregado na Umbanda ou no Espiritismo surgiu em épocas e locais diferentes, sendo a Umbanda com origem no Afro-mediunismo no antigo Egito e na Índia e trazido para o Brasil por volta de 1600 d.c com escravos com suas religiões africanas. Já o mediunismo da doutrina espírita kardecista teve origem na França em 1857 e veio para o Brasil por volta de 1900.

   A Umbanda nascida em 1908 (existem relatos de 1907) é na verdade uma mistura de várias doutrinas, sendo principais as Afro-religiões(trazidas pelos escravos), o Espiritismo Kardecista e o Catolicismo, porém com características próprias e cada "Casa/Terreiro/Tenda" possui uma doutrina de acordo com a visão espiritualista dos trabalhadores do local conforme seus dirigentes encarnados e espirituais. A palavra Umbanda também possui algumas interpretações com seus mantras, sendo "conjunto das leis divinas", "arte de curar", "o limite no ilimitado", entre outras.

   Já o nascimento do Espiritismo é como uma filosofia e doutrina, trazida por Allan Kardec na França, através de questionamentos e estudos dos eventos considerados paranormais, ele fez experiências de maneiras metodológicas e transformou as experiências e  os resultados em livros, o espiritismo é considerado no Brasil pelo senso como religião.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Cambone

Cambone


   Cambone é aquele trabalhador dentro de um terreiro de Umbanda responsável por auxiliar as entidades, os médiuns incorporados e os visitantes. Cabe a ele cuidar do material do guia durante a gira, entregando todos os instrumentos de que ele necessite para os atendimentos. 

   Também deve auxiliar o consulente, caso seja necessário, no entendimento de alguma mensagem que a entidade queira transmitir, visto que muitas pessoas quando vão a um terreiro à primeira vez podem não compreender algumas palavras utilizadas pelos espíritos de luz.

   Além disso, incumbe ao cambone fazer as anotações sobre os banhos ou algum trabalho passado pela entidade ao visitante e, em caso de dúvida, deve saná-la para que se dê a devida orientação ao consulente.

   Deve sempre estar atento o tempo todo sobre o que está acontecendo durante a gira, posto que o guia pode precisar de sua ajuda para pegar algum objeto como, por exemplo, uma vela ou para dar sustento vibratório em algum trabalho. Além do mais, deve prestar atenção no momento da desincorporação a fim de auxiliar o médium no equilíbrio com o corpo.

   O cambone quando está executando suas tarefas, não o faz sozinho. Com ele estão presentes seus guias e, portanto, ele também realiza a sustentação e irradiação de energia para as consultas.

   Ser cambone é aprender todo dia algo novo. É a oportunidade  de contato com os guias de Umbanda. É poder, a cada gira, sentir o abraço do preto velho através de suas palavras acolhedoras, é vivenciar a bravura do caboclo, a alegria e pureza das crianças e a sinceridade dos exus.

Salve a Umbanda!
Natália de Iemanjá

terça-feira, 11 de julho de 2017

Crianças cristal

Crianças cristal


   As chamadas crianças Cristal, começaram a chegar maciçamente uns dez anos após os índigos; observe-se que sempre nasceram entre nós crianças com essas características, mas que a partir da década de 81 os índigo entre nós aumentaram, desde a década de 90 os cristal também têm chegado em massa entre nós.

   Foi necessário que os índigos viessem antes demolir os antigos sistemas  de crenças para preparar o terreno para os cristal, que nasceram com um propósito diferente dos índigos; estes vieram consolidar a paz e o amor, pois que são a expressão dessas duas virtudes.

   A aura dessas crianças têm um padrão cristalino e podem apresentar cores suaves como rosa e azul claros. São muito sensíveis aos ambientes carregados de energias negativas e densas; enquanto os índigos expandem sua aura para se proteger, e transmutar essas energias; os cristais as sentem de maneira mais agressiva e se com suas presenças não podem curar o ambiente com sua energia de amor e paz ou, manifestam claramente que não se sentem bem em determinados lugares ou na presença de algumas pessoas.

  As crianças cristal são curadores natos e intuitivos, no entanto isso pode levar ao desgaste energético quando não observado e não se buscar repor as energias gastas nesses processos de cura.

   É comum crianças cristal manifestarem dons artísticos, possuem senso estético mais refinado e buscam reencarnar em famílias onde ou seus pais ou avós sejam pessoas mais espiritualizadas a fim de garantir que recebam uma direção espiritual mais equilibrada e não apenas que se lhe apresentem religiões castradoras e contaminadas por dogmas.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Crianças índigo

Crianças índigo


   O termo crianças índigo e crianças cristal, surgiu através do trabalho de Nancy Ann Tape, uma parapsicóloga e escritora americana que distinguiu algumas crianças pela cor de sua aura, enquanto escrevia o livro: “Compreenda a sua vida através da cor.” Em 1982. Nancy percebeu que crianças com auras em tom de azul índigo eram portadores de características muito peculiares.

   Hoje temos em nosso meio adultos e um número cada vez maior de crianças portadoras dessas características: força interior impressionante, capacidade de contestar ideias e sistemas arcaicos, preconceituosos e falidos. As pessoas com a aura índigo, geralmente têm uma infância bastante conturbada e exigem muito dos pais e educadores, posto que questionam comportamentos e ideias estabelecidos há gerações; ou seja, são inovadores por excelência.

   Essas crianças têm muito o que ensinar, pois trazem em seu comportamento o sinal claro de que é preciso mudar o modelo de sociedade posto, corrompido e que não funciona.

   Conviver com crianças com essas características é um aprendizado constante para pais e educadores, pois vivem à frente de seu tempo e a todo momento dão preciosas lições de comportamento.

   A vida de um índigo, seja ele criança ou adulto não é fácil, pois enquanto a sociedade como um todo exige da pessoa que esta se adapte ao modelo, o índigo enxerga as falhas desse modelo e luta para modificá-lo, vivendo, por esse motivo em constante atrito com tudo e com todos à sua volta.



   Os índigos são visionários, originais, autênticos, possuidores de uma extraordinária força interior; não se calam diante de injustiças e não medem esforços para fazer valer seu modo de ver a vida. Rompem barreiras do preconceito, do medo, da falsa sensação de segurança daqueles que se encaixam por medo de não serem aceitos, pois não sentem medo.

   Infelizmente os índigos, sejam eles crianças ou adultos vêm sendo rotulados de mal educados ou encrenqueiros. Toda essa energia manifestada pelos índigo, se não bem direcionada, poderá levá-los a comportamentos prejudiciais a eles mesmos, como o uso de drogas, álcool e outros comportamentos a fim de entorpecer essa insatisfação com a sociedade e com a frustração de não verem seus esforços alcançando o resultado que desejam: a mudança.

   Todos carregamos  mais ou menos as características de um índigo, mas esses seres que chegam a todo o momento na superfície do planeta trazem consigo o papel de derrubar sistemas falhos a fim de que a humanidade possa se reerguer sobre novos e melhorados valores ético-morais, a fim de que a Nova Era finalmente deixe de ser um sonho para se realizar por nós mesmos: a humanidade terrena.


Algumas características manifestadas pelos índigo.
São determinadas e persistentes;
Têm uma necessidade de romperam sistemas pré-estabelecidos;
Têm dificuldade em aceitar a autoridade sem explicação nem alternativa;
São sensíveis e denunciam a falta de verdade e honestidade;
São exigentes e “fortes” mentalmente;
Não se inibem a manifestarem as suas necessidades;
Põem à prova os limites físicos;
Possuem extrema intuição, espontaneidade e grande imaginação;
Alguns consideram que possuem potencialidades de poderes paranormais;
São criativas, sentindo-se frustradas perante sistemas ritualistas;
Muitas delas são diagnosticadas com défice de atenção e/ou Défice de Atenção com hiperatividade.

Hélida de Nanã